Câmeras inteligentes e mediações algorítmicas: Algumas considerações epistemológicas

  • Icaro Ferraz Vidal Junior Universidade Tuiuti do Paraná
Palavras-chave: câmeras inteligentes, algoritmo, epistemologia

Resumo

O presente artigo lança mão do método genealógico para investigar algumas mutações epistemológicas associadas a transformações nos dispositivos de produção e visualização de imagens técnicas. Adotando como ponto de partida a história da objetividade no interior das práticas científicas modernas, e considerando o lugar privilegiado das imagens na construção desta virtude epistemológica, busca-se identificar ressonâncias desta história no contemporâneo. Neste movimento, aventa-se a hipótese de que as imagens digitais criadas por dispositivos inteligentes problematizam, histórica e logicamente, as clivagens entre objetividade e subjetividade, entre métodos quantitativo e qualitativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Icaro Ferraz Vidal Junior, Universidade Tuiuti do Paraná
Graduado em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e em "Crossways in European Humanities" pelas Universidade Nova de Lisboa, Universidade de Santiago de Compostela e University of Sheffield, doutor em "Cultural Studies in Literary Interzones" pelas Université de Perpignan Via Domitia e Università degli studi di Bergamo e em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é bolsista de pós-doutorado PNPD-Capes no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná e pesquisador do MediaLab UFRJ.
Publicado
21-12-2018
Como Citar
Ferraz Vidal Junior, I. (2018). Câmeras inteligentes e mediações algorítmicas: Algumas considerações epistemológicas. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.1555
Seção
Ahead of Print