[1]
H. I. Keske, “Do caráter negociável da significação à busca do código perfeito”, EC, vol. 10, jun. 2007.