[1]
M. A. Santos Silva, “Uma fusão no estilo mwangolé: Uma perspectiva decolonial do rock angolano”, EC, vol. 23, set. 2020.