Teoria social, realidade empírica e habitus:

gênero e classe articulados como conceitos analíticos na recepção

  • Milena Freire de Oliveira-Cruz Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
Palavras-chave: Habitus de classe. Habitus de gênero. Estudos de recepção.

Resumo

O artigo situa-se no âmbito dos estudos de recepção e propõe a sistematização dos conceitos de classe e gênero como categorias analíticas. A partir de uma pesquisa realizada com mulheres da classe trabalhadora, refletimos sobre a formulação teórica e analítica de um objeto de estudo a partir da teoria social de Bourdieu e das perspectivas de Martin-Barbero e García Canclini. A fim de exemplificar a operacionalização do habitus em um estudo de recepção e consumo midiático, apresentamos o traçado teórico-metodológico de nosso estudo, através do que denominamos “esquemas analíticos”, que nos permitiram articular a teoria com o contexto social e a posição de classe e de gênero das entrevistadas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Freire de Oliveira-Cruz, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, Professora do Departamento de Ciências da Comunicação e Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre: Zouk, 2008.

_______. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

_______. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

_______. Capital simbólico e classes sociais. Novos estudos CEBRAP, n. 96, p. 105-115, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002013000200008&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 15 set. 2014.

BURAWOY, Michael. As antinomias do feminismo: Beauvoir encontra Bourdieu. In: _____. O marxismo encontra Bourdieu. Campinas/SP: Editora da Unicamp, 2010.

COLLING, Ana. A construção histórica do feminino e do masculino. In: STREY, Marlene Neves; CABEDA, Sonia T. Lisboa; PREHN, Denise Rodrigues (Org.). Gênero e cultura: questões contemporâneas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 13-38.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina. Os estudos de recepção e as relações de gênero: algumas anotações provisórias. Ciberlegenda, Rio de Janeiro, n. 7, 2002.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina; SIFUENTES, Lirian. As relações de classe e gênero no contexto de práticas orientadas pela mídia: apontamentos teóricos. E-compós, Brasília, v. 14, n. 2, maio/ago. 2011.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Cultura y organización popular: Gramsci con Bourdieu. Cuadernos Políticos, México, n. 38, p. 75-82, ene./mar. 1984.

______. La Sociología de la cultura de Pierre Bourdieu (Introduccíon). In: BOURDIEU, Pierre. Sociología y cultura. México: Grijalbo, 1990.

JACKS, Nilda; MENEZES, Daiane; PIEDRAS, Elisa. Do outro lado do balcão: foco na publicidade. In: JACKS, Nilda (Coord). Meios e audiências: a emergência dos estudos de recepção no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2008.

JACKS, Nilda; SIFUENTES Lírian; LIBARDI, Guilherme. Classe social: elemento estrutural (des)considerado nas pesquisas de recepção e consumo midiático. In: JACKS, Nilda et al. Meios e audiências: reconfigurações dos estudos de recepção e consumo midiático no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2017.

LOPES, Maria Immacolata Vassalo de. Pesquisa em comunicação. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

LOVELL, Terry. Bourdieu, class and gender: the return of the living dead? In: ADKINS, Lisa; SKEGGS, Beverley (Org.). Feminism after Bourdieu. Oxford/USA: Blackwell Publishing, 2004. p. 38-53.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

MATTOS, Patrícia. A mulher moderna numa sociedade desigual. In: SOUZA, Jessé (Org.). A invisibilidade da desigualdade brasileira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

MIGUEL, Luis Felipe. Voltando a discussão sobre capitalismo e patriarcado. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 3, p.1218-1237 set./dez. 2017.

PEREIRA, Verbena. Gênero: dilemas de um conceito. In: STREY, Marlene Neves; CABEDA, Sonia T. Lisboa; PREHN, Denise Rodrigues (Org.). Gênero e cultura: questões contemporâneas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

PISCITELLI, Adriana. Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade e Cultura, v. 11, n. 2, p. 263-274, jul./dez. 2008.

RONSINI, Veneza M. A perspectiva das mediações de Jesús Martín-Barbero (ou como sujar as mãos na cozinha da pesquisa empírica de recepção). In: ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 19., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2010. p. 1-15.

_______. Telenovelas e a questão da feminilidade de classe. In: ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 24., 2015, Brasília. Anais... Brasília: UnB, 2015. p. 1-15.

SAFFIOTI, Heleieth. Rearticulando gênero e classe social. In: COSTA, Albertina de; BRUSCHINI, Cristina (Org.). Uma questão de gênero. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 1992. p. 183-215.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SKEGGS, Beverley. Context and Background: Pierre Bourdieu’s analysis of class, gender and sexuality. In: ADKINS, Lisa; SKEGGS, Beverley (Org.). Feminism after Bourdieu. Oxford/USA: Blackwell Publishing, 2004. p. 19-33.

______. Classifying Practices: Representations, Capitals and Recognitions. In: Mahoney, Pat. Zmroczek, Christine. (Ed.). Class Matters. London: Taylor and Francis, 1997. p. 123-140.

SIFUENTES, Lirian. Todo mundo fala mal, mas todo mundo vê: estudo comparativo do consumo de telenovela por mulheres de diferentes classes. 2014. 299 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

THIRY-CHERQUES, Hermano. Pierre Bourdieu: a Teoria da Prática. RAP, Rio de Janeiro, v. 40, n.1, p. 27-55, jan/fev. 2006.

Publicado
08-04-2020
Como Citar
de Oliveira-Cruz, M. F. (2020). Teoria social, realidade empírica e habitus:. E-Compós, 23. https://doi.org/10.30962/ec.1795
Seção
Artigos Originais