“Eis o filme” - O formato 16mm e a influência da estética amadora no documentário moderno

  • Fernando Weller
Palavras-chave: Documentário, Cinema Direto, Intimidade

Resumo

O presente artigo analisa as transformações tecnológicas e discursivas ocorridas no domínio do cinema documentário desde a Escola Britânica ao chamado documentário moderno. Abordamos, particularmente, as diferentes significações que a tecnologia do formato 16mm assume dos anos 30 aos anos 60 até tornar-se um elemento fundamental para legitimação do discurso intimista documental defendido pelos cineastas do chamado Cinema Direto. Nossa hipótese central é a de que os limites entres os universos amador e profissional e, por conseguinte, entre as instâncias pública e a privada, tornaram-se cada vez mais tênues com a profissionalização dos equipamentos amadores, sobretudo após o surgimento da TV nos anos 50, e compuseram um dos elementos decisivos da revolução estética que inaugurou o chamado documentário moderno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
23-12-2014
Como Citar
Weller, F. (2014). “Eis o filme” - O formato 16mm e a influência da estética amadora no documentário moderno. E-Compós, 17(2). https://doi.org/10.30962/ec.1028
Seção
Artigos Originais