Infiltrações e permanências do cinema

  • Sylvia Beatriz Bezerra Furtado
  • Érico Araújo Lima
Palavras-chave: Jonas Mekas, Memória, Películas, Cinema Contemporâneo.

Resumo

O artigo estabelece relações entre filmes de Jonas Mekas, notadamente em “Reminiscência de uma Viagem à Lituânia” e “Walden”, “Lost, Lost, Lost” e os “Rolos”, de Ivo Lopes, e “Supermemórias”, de Danilo Carvalho, tentando criar conexões e atualizações de uma proposição que antes de ser apenas uma defesa do cinema como lugar de retenção de fragmentos da vida, faz a própria defesa do cinema. Ao aproximar cinemas, eles todos feitos de pequenos fragmentos, o que surge são trânsitos de um filme sobre o outro e a permanência do próprio cinema. Para tal, toma a tese da sobrevivência das imagens como fundamento teórico, nos termos elaborados por Didi-Huberman.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
23-12-2014
Como Citar
Bezerra Furtado, S. B., & Lima, Érico A. (2014). Infiltrações e permanências do cinema. E-Compós, 17(2). https://doi.org/10.30962/ec.1046
Seção
Artigos Originais