Do procedimental à simulação: a partir de onde pensar os jogos digitais

  • Rodrigo Campanella Gonçalves Barbosa
  • Regina Helena Alves Silva
Palavras-chave: Jogos digitais, Ludologia, Video games, Ambientes digitais, Simuladores

Resumo

Partindo da compreensão do jogo como programa computacional e delimitando características que permitem compreendê-lo como um ambiente digital, este artigo busca compreender a relação entre as possibilidades do jogador em vídeo games, a construção das regras em um jogo digital e as teorias que tentam definir as propriedades desses jogos, mais próximas à narrativa ou à simulação. Também é discutida a forma de interação emergente ou progressiva, o papel das regras, do aprendizado e dos obstáculos dentro destes jogos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-08-2014
Como Citar
Barbosa, R. C. G., & Silva, R. H. A. (2014). Do procedimental à simulação: a partir de onde pensar os jogos digitais. E-Compós, 17(1). https://doi.org/10.30962/ec.1065
Seção
Artigos Originais