Paisagens em desaparição. Cinema em Pernambuco e a relação com o espaço

  • Ângela Freire Prysthon
Palavras-chave: Paisagem. Desaparição. Cinema Contemporâneo

Resumo

O cinema realizado em Pernambuco vem afirmando de maneira enfática sua preocupação com o espaço, especialmente através de ficções e documentários que elaboram as transformações na paisagem da região e nas cidades (sobretudo o Recife). Este ensaio pretende analisar essa relação com o espaço no cinema contemporâneo realizado em Pernambuco a partir de quatro filmes: Avenida Brasília Formosa (2010), de Gabriel Mascaro, O som ao redor (2012), de Kleber Mendonça Filho, Eles voltam (2013), de Marcelo Lordello, e Brasil S/A (2014), de Marcelo Pedroso. São filmes de naturezas, texturas e gêneros distintos, mas que parecem ter em comum a produção de imagens de transição, as quais registram a desaparição de formas de vida, as mudanças na paisagem e as ruínas tanto dos velhos modos de vida, como das novidades do capitalismo predatório, que, de certo modo, já nascem obsoletas. Um dos nossos objetivos é também discutir qual é o papel do que podemos chamar de “imagens de desaparição” (de paisagens, de cidades, de pessoas, de hábitos) na constituição e afirmação do cinema regional no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-05-2017
Como Citar
Prysthon, Ângela F. (2017). Paisagens em desaparição. Cinema em Pernambuco e a relação com o espaço. E-Compós, 20(1). https://doi.org/10.30962/ec.1348
Seção
Cinema