O travelling dispersivo

Palavras-chave: Cinema de vanguarda. Travelling. Maio de 68.

Resumo

Este artigo propõe uma análise do travelling, contextualizando-o na filmografia impulsionada pelo Maio de 68 sob a ótica da desconstrução do cinema. A ênfase sobre o emprego de um travelling dispersivo, vanguardista, oposto à utilização da técnica normatizada pelo cinema narrativo, se dá a partir da análise de filmes militantes. A pesquisa aborda obras de Jean-Luc Godard, do Grupo Dziga Vertov, e o curta-metragem Actua 1 (1968), dirigido por um trio associado posteriormente ao grupo Zanzibar.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-09-2019
Como Citar
Esteves, L. G. (2019). O travelling dispersivo. E-Compós, 22(1). https://doi.org/10.30962/ec.1639
Seção
Artigos Originais