O papel da narrativa no projeto da sociedade empreendedora e na cultura da inspiração

  • Vander Casaqui Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, São Paulo, Brasil
Palavras-chave: Comunicação e consumo. Cultura empreendedora. Cultura da inspiração. Narrativa. Discurso.

Resumo

O objetivo deste artigo foi tratar narrativas como objeto de estudo, no contexto do empreendedorismo e da cultura da inspiração, tendo como base a teoria de Bruner (1991). Como objeto empírico, analisamos as micronarrativas de autoajuda empreendedora do Blog Geração de Valor, denominadas “charges”, à luz da teoria de Bruner. Ao abordarmos criticamente o tema do empreendedorismo, compreendemos o papel fundamental das narrativas inspiracionais, que articulam contexto e materialidade discursiva, espírito do tempo e subjetividade, economia e trajetórias de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vander Casaqui, Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, São Paulo, Brasil

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com Pós-Doutorado pela Universidade Nova de Lisboa. Docente do Programa de Pós Graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo - UMESP.

Referências

ANGENOT, Marc. El discurso social: los limites históricos de lo pensable y lo decible. Buenos Aires: Siglo XXI, 2010.

BAJTÍN, Mikhail. Estética de la creación verbal. Buenos Aires: Siglo XXI, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. (Voloshinov). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1997.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2011.

BOLTANSKI, Luc; CHIAPELLO, Ève. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BROCKMEIER, Jens; HARRÉ, Rom. Narrativa: problemas e promessas de um paradigma alternativo. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 16, n. 3, p. 525-535, 2003.

BRUNER, Jerome. The narrative construction of reality. Critical Inquiry, v. 18, n. 1, p. 1-21, 1991.

BUONANNO, Milly. Histórias de vida exemplares. Biografias. MATRIZes, São Paulo, v. 5, n.1, p. 63-84, 2011.

BYUNG-CHUL, Han. La sociedad de la transparencia. Herder Editorial: Barcelona, 2013.

CASAQUI, Vander. Abordagem crítica da cultura da inspiração: produção de narrativas e o ideário da sociedade emprendedora. E-Compós, v. 20, n. 2, p. 1-18, 2017.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DRUCKER, Peter F. Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

EHRENBERG, Alain. O culto da performance: da aventura empreendedora à depressão nervosa. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2010.

ENDEAVOR BRASIL/SEBRAE. 50 histórias para inspirar sua jornada empreendedora: um exemplo para chamar de seu. São Paulo: Endeavor Brasil / Sebrae, s/d. Disponível em: <http://info.endeavor.org.br/tp-ebook-50-historias>. Acesso em: 5 fev. 2020.

FIGUEIREDO, Camila B. Simurro. Celebridades empreendedoras e narrativas inspiracionais: pacotes biopolíticos de Bel Pesce e Flávio Augusto da Silva (Geração de Valor) no âmbito da comunicação e do consumo. 2018. 240 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo, Escola Superior de Propaganda e Marketing, 2018.

FOUCAULT, Michel. Birth of Biopolitics. New York: Palgrave Macmillan, 2008.

FREIRE FILHO, João (Org.) Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010.

GALLO, Carmine. TED: falar, convencer, emocionar; como se apresentar para grandes plateias. São Paulo: Saraiva, 2014.

JAMESON, Fredric. Arqueologías del futuro: el deseo llamado utopía y otras aproximaciones de ciencia ficción. Madrid: Ed. Akal, 2009.

KEDROWICZ, April A.; TAYLOR, Julie L. Shifting Rhetorical Norms and Electronic Eloquence: TED Talks as formal presentations. Journal of Business and Technical Communication, v. 30, n. 3, p. 352-377, 2016.

MARÍN-DÍAZ, Dora L. Autoajuda e educação: uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas. 2012. 310 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

PRADO, José L. Aidar. Decifrando os pontos sintomáticos do capitalismo comunicacional. In: ______; PRATES, Vinícius (Org.). Sintoma e fantasia no capitalismo comunicacional. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2017. p. 13-25.

______. Política do acontecimento. Famecos, v. 20, n. 2, p. 495-520, maio/ago. 2013.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2007.

______. A cultura do novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SINATO, Angelina. Os discursos globalizados do empreendedorismo social: narrativas heroicas, mundos possíveis e consumo simbólico. 2016. 228 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo, Escola Superior de Propaganda e Marketing, 2016.

Publicado
28-06-2020
Como Citar
Casaqui, V. (2020). O papel da narrativa no projeto da sociedade empreendedora e na cultura da inspiração. E-Compós, 23. https://doi.org/10.30962/ec.1850
Seção
Artigos Originais