Self Help, Media Cultures and the Production of Female Psychopathology

  • Lisa Blackman
Palavras-chave: Auto-ajuda, Neo-liberalismo, Subjetividade, Psicologia retórica, Dilema, Diálogo, Cultura de revistas, Pós-feminismo

Resumo

Este artigo aborda conjuntamente trabalhos localizados na interseção entre a psicologia crítica e os estudos culturais para explorar a significação cultural e psicológica da cultura das revistas femininas. Apoiando-se na psicologia retórica e nos últimos trabalhos de Foucault sobre as ‘técnicas do eu’, ele explora as injunções e posicionamentos complexos, responsáveis pela criação de uma gama de ansiedades e dilemas ligados ao gênero, produzidos dentro das relações neoliberais. A auto-ajuda é discutida como uma prática que condensa, ou aproxima, uma gama de ansiedades culturais, tensões corporais, economias emocionais e formas de psicopatologias que são realidades vividas ‘já-constituídas’ para muitas das leitoras que convergem para estas revistas. O artigo conclui que uma maior aproximação dos teóricos culturais com a psicopatologia crítica permitirá aos estudos culturais trazerem o corpo de volta para a teoria cultural, e considerarem a tradução de injunções culturais através de designações de raça, classe, sexualidade e gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Blackman, L. (2007). Self Help, Media Cultures and the Production of Female Psychopathology. E-Compós, 10. https://doi.org/10.30962/ec.194
Seção
Artigos Originais