Uma Proposta de Framework Teórico para Análise da Experiência no Jornalismo Imersivo

Palavras-chave: Jornalismo imersivo. Experiência. Imersão. Inovação no Jornalismo.

Resumo

Este artigo tem como objetivo propor um quadro teórico para a análise da experiência no jornalismo imersivo. Parte-se da discussão sobre a relação entre imersão e jornalismo e dos conceitos de experiência e jornalismo imersivo. A metodologia consiste na combinação da pesquisa bibliográfica com a análise de produtos. A proposta de quadro teórico está fundamentada em quatro níveis: epistêmico, estratégico, estilístico e estético – que se desdobram em aspectos teóricos e técnicos. Esses níveis mostraram uma inter-relação de experiências de agentes que compartilham suas emoções, repertórios, visões de mundo e vivências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adalton dos Anjos Fonseca, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia. Membro do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line (GJOL). Bolsista CNPq.

Luciellen Lima, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Doutoranda em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia. Participante do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line - GJOL da UFBA e Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Jornalismo e Mobilidade –MOBJOR da UEPB.

Suzana Barbosa, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Doutora em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia. Professora Associada I do Departamento de Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. Diretora da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. Investigadora e coordenadora do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-Line (GJOL).

Referências

ALSINA, M. R. La construcción de la notícia. Barcelona: Paidós Comunicación, 1993.

ARCHER, D.; FINGER, K. Walking in Another’s Virtual Shoes: Do 360-Degree Video News Stories Generate Empathy in Viewers? Columbia Journalism Review. 2018. Disponível em https://www.cjr.org/tow_center_reports/virtual-reality-news-empathy.php Acesso em: 20 mai. 2019.

BARBOSA, Suzana. Jornalismo convergente e continuum multimídia na quinta geração do jornalismo nas redes digitais. In: CANAVILHAS, João (Org.), Notícias e mobilidade: o jornalismo na era dos dispositivos digitais. Covilhã, Portugal: UBI/Labcom, Livros LabCom, 2013. p. 33–54.

BENETTI, M. O jornalismo como acontecimento. In: BENETTI, M.; FONSECA, V. (Eds.). Jornalismo e Acontecimento: mapeamentos críticos. v. 1. Florianópolis, SC: Insular, 2010. p. 143–164.

BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. IN: BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: obras escolhidas. 7ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994a. p. 165-196.

______. O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. IN: BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: obras escolhidas. 7ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994b. p. 197-221.

BOLTER, J. D.; GRUSIN, R. A. Remediation: Understanding new media. Cambridge: Mit Press, 2000.

BONDÍA, J. L. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20–28, 2002.

BOULLIER, D. L’attention: un bien rare en quête de mesures. Sciences de la société, n. 87, p. 128–145, 2012.

BOURDIEU, P. Sobre a televisão: seguido de a influência do jornalismo e os jogos olímpicos. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

BRADSHAW, P. Instantaneidade: Efeito da rede, jornalistas mobile, consumidores ligados e o impacto no consumo, produção e distribuição. In: CANAVILHAS, J. M. M. (Ed.). Webjornalismo: 7 caraterísticas que marcam a diferença. Covilhã, Portugal: LivrosLabCom, 2014. p. 111–136.

BRAUTOVIĆ, M.; JOHN, R.; POTREBICA, M. Immersiveness of News: How Croatian Students Experienced 360-Video News. In: DE PAOLIS, L.; BOURDOT, P.; MONGELLI, A. (Eds.). Augmented Reality, Virtual Reality, and Computer Graphics. Cham, Suiça: Springer, 2017. p. 263–269.

CANAVILHAS, J. M. M. Webjornalismo. Da pirâmide invertida à pirâmide deitada. BOOC, p. 1–17, 2007.

CARDOSO FILHO, J.; MARTINS, B. Presença e materialidade na experiência contemporânea. ALCEU, v. 11, n. 21, p. 145-161, jul./dez., 2010.

CASTRO, F. F. de. Intencionalidade, experiência banal e comunicação: esboço de prospecção fenomenológica do cotidiano. LOGOS 43,Dossiê: Cotidiano e Experiência, v. 22, n. 2, p. 58-70, 2° semestre de 2015.

CHALABY, J. The invention of journalism. New York, USA: St. Martin’s Press, 1998.

CITTON, Y. The ecology of attention. Ontario, Canadá: John Wiley & Sons, 2017.

CRAMER, J.; MCDEVITT, M. Ethnographic Journalism. In: HARTIN IORIO, S. (Ed.). Qualitative Research in Journalism. Taking It to the Streets. Mahwah: Lawrence Erlbaum Associates Publishers, 2004. p. 127–143.

DAVENPORT, T. H.; BECK, J. C. The attention economy: Understanding the new currency of business. Massachusetts: Harvard Business Press, 2001.

DE LA PEÑA, N. et al. Immersive journalism: Immersive virtual reality for the first-person experience of news. Presence: Teleoperators and Virtual Environments, v. 19, n. 4, p. 291–301, 2010.

DEUZE, M. Understanding Journalism as Newswork: How It Changes, and How It Remains the Same. Westminster Papers in Communication and Culture, 2008.

DEWEY, J. Art as experience. New York: Penguin, 1980.

DOMÍNGUEZ, E. Periodismo inmersivo. Fundamentos para una forma periodística basada en la interfaz y en la acción. Tese de doutorado. Universitat Ramon Llull, Barcelona, 2013.

______. Going Beyond the Classic News Narrative Convention: The Background to and Challenges of Immersion in Journalism. Frontiers in Digital Humanities, v. 4, 17 mai., 2017.

ECHEVERRÍA, J. El arte de innovar: naturalezas, lenguajes, sociedades. Madrid: Plaza y Valdés, 2017.

EKSTRÖM, M. Epistemologies of TV journalism: A theoretical framework. Journalism, v. 3, n. 3, p. 259–282, 2002.

ELLIS, G. D. et al. A theory of structured experience. Annals of Leisure Research, v. 22, n. 1, p. 97–118, 2017.

ETTEMA, J. S.; GLASSER, T. L. On the epistemology of investigative journalism. Annual Meeting of the Association for Education in Journalism and Mass Communication, 1984.

FONSECA, A dos A. A inovação no jornalismo em revistas para tablets: uma análise a partir das affordances e da convergência de conteúdos jornalísticos. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

FONSECA, V. O acontecimento como notícia: do conceito à prática profissional. In: BENETTI, M.; FONSECA, V. (Eds.). Jornalismo e Acontecimento: mapeamentos críticos. v. 1. Florianópolis, SC: Insular, 2010. p. 167–185.

FRANCISCATO, C. A atualidade no jornalismo: bases para sua delimitação teórica. Tese de doutorado. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003.

______. Uma proposta de incorporação dos estudos sobre inovação nas pesquisas em jornalismo. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 7, n. 1, 9 jun., 2010.

GENETTE, G. Discurso da narrativa. Sinop, Mato Grosso: Arcádia, 1995.

GROTH, O. O poder cultural desconhecido: fundamentos da ciência dos jornais. Petrópolis: Vozes, 2011.

GUERRA, J. A objetividade jornalística. Dissertação de mestrado. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1998.

______. Sistema de Gestão de Qualidade aplicado ao jornalismo: possibilidades e diretrizes. E-Compós, v. 13, n. 3, p. 1–16, 2011.

GUIMARÃES, C. G.; LEAL, B. S. Experiência Estética e Experiência mediada. Intexto, Porto Alegre: UFRGS, v. 2, n. 19, p. 1-14, jul./dez., 2008.

HANITZSCH, T. Deconstructing journalism culture: Toward a universal theory. Communication theory, v. 17, n. 4, p. 367–385, 2007.

HARDEE, G. M.; MCMAHAN, R. P. FIJI: A Framework for the Immersion-Journalism Intersection. Frontiers in ICT, v. 4. 2017.

HERMANN, A. K. Ethnographic journalism. Journalism: Theory, Practice & Criticism, v. 17, n. 2, p. 260–278, 2016.

JENNETT, C. et al. Measuring and defining the experience of immersion in games. International Journal of Human Computer Studies, v. 66, n. 9, p. 641–661, 2008.

JONES, S. Disrupting the narrative: immersive journalism in virtual reality. Journal of Media Practice, v. 18, n. 2–3, p. 171–185, 2017.

LEWIS, S. C.; WESTLUND, O. Big Data and Journalism. Digital Journalism, v. 3, n. 3, p. 447–466, 2015.

LONGHI, R. R.; CAETANO, K. Valor-experiência no contexto do jornalismo experiencial. In: SBPJor – Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM JORNALISMO, 16.,2018, FIAM-FAAM / Anhembi Morumbi, São Paulo. Anais...São Paulo, 2018.

MACHADO, E. Creatividad e innovación en el periodismo digital. Actas II Congreso Internacional de Ciberperiodismo y Web 2.0, 2010, Bilbao. Anais...Bilbao: Universidaddel País Basco, 2010.

MACIEL, P. Jornalismo de televisão: normas práticas. Porto Alegre: Sagra: DC Luzzatto, 1995.

MARAS, S. Objectivity in journalism. Cambridge: Polity, 2013.

MARQUES, A. C. S.; MARTINO, L. M. S. A comunicação, o comum e a alteridade: para uma epistemologia da experiência estética. LOGOS 43. Dossiê: Cotidiano e Experiência. v. 22, n. 2, 2º semestre 2015.

MATEUS, S. A Experiência e a Vivência – proposta de uma teoria modular da comunicação. E-compós, Brasília, v.17, n.2, mai./ago., 2014a.

______. Experiência e comunicação em Walter Benjamin. Interin. Curitiba, v. 17, n.1, p. 57- 66, jan. /jun., 2014b.

MATHESON, D. Weblogs and the Epistemology of the News: Some Trends in Online Journalism. New Media & Society, v. 6, n. 4, p. 443–468, 2004.

MCMAHAN, A. Immersion, engagement, and presence. In: WOLF, M. P.; PERRON, B. (Eds.).The video game theory reader. New York, Routledge, 2003. p. 67–86.

MEDINA, C. A arte de tecer o presente: narrativa e cotidiano. São Paulo: Summus Editorial, 2003.

MIELNICZUK, L. Jornalismo na web: uma contribuição para o estudo do formato da notícia na escrita hipertextual. Tese de doutorado. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003.

MOTTA, L. G. A Análise Pragmática da Narrativa Jornalística. CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO INTERCOM, 28., 2005, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: Intercom, 2005.

MURRAY, J. H. Hamlet on the Holodeck: The Future of Narrative in Cyberspace. New York, USA: Free Press, 1997.

NEWMAN, N. Journalism, Media and Tecnology Predictions 2019. Reuters Institute for the Study of Journalism, 2019.

______. Journalism, Media and Tecnology Predictions 2018. Reuters Institute for the Study of Journalism, 2018.

NOVAK, T. P.; HOFFMAN, D. L. Measuring the flow experience among web users. Interval Research Corporation, v. 31, n. 1, p. 1–35, 1997.

OLIVEIRA, F. M. DE; OSÓRIO, M. C.; HENN, R. C. Agir Cartográfico: proposta teórico-metodológica para compreensão e exercício do jornalismo em rede. Encontro Anual da Compós, 28. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Anais...Porto Alegre: 2019.

OWEN, T. et al. Virtual reality journalism. Tow Center for Digital Journalism, Columbia Journalism School, 2015.

PALACIOS, M.; BARBOSA, S.; FIRMINO, F.; CUNHA, R. Jornalismo móvel e inovações induzidas por affordances em narrativas para aplicativos em tablets e smartphones. In: CANAVILHAS, J. M. M.; SATUF, I. (Eds.). Jornalismo para Dispositivos Móveis: produção, distribuição e consumo. Covilhã, Portugal: Livros LabCom, 2015. p. 7–42.

REZENDE, Renata; BEDRAN, Laura. Reflexões sobre espaço e comunicação: a transformação da experiência em cotidianos urbanos. LOGOS 43. Dossiê: Cotidiano e Experiência. V. 22, n. 2, 2º semestre 2015.

RYAN, M.-L. Narrative as virtual reality 2: Revisiting immersion and interactivity in literature and electronic media. V. 2. Baltmore: JHU Press, 2015.

SALAVERRÍA, R. Digital journalism: 25 years of research. Review article. El professional de la información, V. 28, n. 1, 2019.

SÁNCHEZ LAWS, A. L. Can Immersive Journalism Enhance Empathy? Digital Journalism, p. 1–16, 2017.

SCHUDSON, M. The sociology of news (contemporary sociology). New York: WW Norton & Company, 2003.

SEIDENGLANZ, R.; SPONHOLZ, L. Objetividade e credibilidade midiática: considerações sobre uma suposta relação. Contemporanea-Revista de Comunicação e Cultura, v. 6, n. 2, 2009.

SHIN, D.; BIOCCA, F. Exploring immersive experience in journalism. New Media and Society, v. 19, n. 11, p. 1–24, 2017.

SPONHOLZ, L. Jornalismo, Conhecimento e Objetividade: Além do Espelho e das Construções. Florianópolis, SC: Insular, 2009.

SUNDAR, S. S.; KANG, J.; OPREAN, D. Being There in the Midst of the Story: How Immersive Journalism Affects Our Perceptions and Cognitions. Cyberpsychology, Behavior, and Social Networking, v. 20, n. 11, p. 672–682, nov., 2017.

TAMBOSI, O. Elementos para uma epistemologia do jornalismo. Intercom-Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v. 26, n. 2, 2003.

THOMPSON, J. A mídia e a modernidade: Uma teoria social da mídia. 5a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

TRENTINI, B. Pour une immersion non transparente. Dans Figures de l’immersion. Cahier ReMix, n. 4, 2014.

TUCHMAN, G. Objectivity as strategic ritual: An examination of newsmen’s notions of objectivity. American Journal of sociology, v. 77, n. 4, p. 660–679, 1972.

VALVERDE, M. Comunicação e experiência estética. In: LEAL, B. S.; GUIMARÃES, C.; MENDONÇA, C. (Eds.). Entre o sensível e o comunicacional. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 57–71.

______. ESTÉTICA E HERMENÊUTICA: a estética da comunicação como hermenêutica do mundo sensível. In: ENCONTRO ANNUAL DA COMPÓS, 28., 2019, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Anais… Porto Alegre, 2019.

WATSON, Z. VR for news: the new reality? Reuters Institute - Digital News Project 2017. Disponível em: <https://goo.gl/XMXPAq>. Acesso em: 25 mar. 2019.
Publicado
03-11-2020
Como Citar
dos Anjos Fonseca, A., Souza Lima, L., & Oliveira Barbosa, S. (2020). Uma Proposta de Framework Teórico para Análise da Experiência no Jornalismo Imersivo. E-Compós, 23. https://doi.org/10.30962/ec.2022
Seção
Artigos Originais