Os jornalistas brasileiros em contextos de crises:

uma análise das trajetórias profissionais de 2012 a 2017

  • Camilla Quesada Tavares Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, Maranhão, Brasil
  • Cintia Xavier Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil
  • Felipe Simão Pontes Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil
Palavras-chave: Trajetória profissional. Jornalistas brasileiros. Emprego.

Resumo

Este artigo tem por objetivo investigar a carreira de 517 jornalistas que atuavam na mídia em 2012 para saber onde esses profissionais estavam em 2017, bem como explorar as características do atual trabalho. Desde meados da atual década, o mercado jornalístico foi atingido por uma grande crise de diversas naturezas. Os postos de trabalho diminuíram e muitos profissionais foram obrigados a procurar outros empregos. Para isso, foi realizado um survey online em novembro e dezembro de 2017 com os jornalistas que participaram da primeira pesquisa, em 2012. Os resultados indicam que metade dos respondentes saiu da mídia no período de cinco anos, migrando para as assessorias, docência e, principalmente, para empregos fora da área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camilla Quesada Tavares, Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, Maranhão, Brasil

Doutora em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Curso de Comunicação Social - Jornalismo da Universidade Federal do Maranhão.

Cintia Xavier, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Professora do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo e do Departamento de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Felipe Simão Pontes, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil

Doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

 

Referências

ADGHIRNI, Zélia Leal. Informação on-line: jornalista ou produtor de conteúdos? Contracampo, n. 6, pp. 137-152, 2002.
ADGHIRNI, Zélia Leal. O jornalista: do mito ao mercado. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 2, n. 1, pp. 45-57, 2005.
ALEXANDER, Jeffrey C. Introduction: Journalism, democratic culture, and creative reconstruction. In: ALEXANDER, Jeffrey C.; BREESE, Elizabeth Butler; LUENGO, María (Eds). The crisis of journalism reconsidered: Democratic culture, professional codes, digital future. Cambridge: Cambridge University Press, 2016, p. 1-30.
ANDRÉ, Hendryo; WINQUES, Kérley. Valores de uma profissão em crise: tensões e desafios de jornalistas de veículos tradicionais em meio à consolidação da internet no modo de fazer jornalismo. Brazilian Journalism Research, v. 15, n. 1, p. 230-253, 2019.
BIRD, Elizabeth. The future of journalism in the digital environment. Journalism, v. 10, n. 3, pp. 293-295, 2009.
BREESE, Elizabeth Butler. The perpetual crisis of journalism: Cable and digital revolutions. In: ALEXANDER, Jeffrey C.; BREESE, Elizabeth Butler; LUENGO, María (Eds). The crisis of journalism reconsidered: Democratic culture, professional codes, digital future. Cambridge: Cambridge University Press, 2016, p. 31-42
CARLSON, Matt. Where once stood titans: second-order paradigm repair and the vanishing US newspaper. Journalism, v. 13, n. 3, p. 267-283, 2011.
CARVALHO, Eleonora de Magalhães. JORNALISMO EM REDE: a Blogosfera Progressista como ecossistema midiático. 260 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade Federal Fluminense, Departamento de Estudos Culturais e de Mídia, 2017.
CHADWICK, Andew. The hybrid media system. Oxford: Oxford Univeristy Press, 2013.
CHARRON, Jean; BONVILLE, Jean de. Natureza e transformação do jornalismo. Florianópolis: Insular; Brasília: FAC Livros, 2016.
CURRAN, James. Triple crisis of journalism. Journalism, v. 20, n. 1, p. 190-193, 2019.
DAHLGREN, Peter. Charting the evolution of Journalism: the horizon of democracy. Media Studies, v. 1, n. 2, p. 3-17, 2010.
DE MATEO, Rosario; BERGÉS, Laura; GARNATXE, Anna. Crisis, what crisis? The media: business and journalism in times of crisis. tripleC, v. 8, n. 2, pp. 251-274, 2010.
DEUZE, Mark. The Web and its Journalisms: Considering the Consequences of Different Types of Newsmedia Online. New Media & Society, v. 5, n. 2, pp. 203-230, 2003.
DEUZE, Mark; ELEFANTE, Phoebe; STEWARD, Brian. Media work and the recession. Popular Communication, v. 8, n. 3, p. 226-231, 2010.
DEVITO, M. A. From Editors to Algorithms. Digital Journalism, v. 5, n. 6, p. 753-773, 2017.
FIGARO, Roseli. Jornalismos e trabalho de jornalistas: desafios para as novas gerações no século XXI. Parágrafo, v. 2, n. 2, p. 23-37, 2014.
HALLIN, Daniel; MANCINI, Paolo. Comparing media systems: three models of media and politics. Nova York: Cambridge University Press, 2004.
McCHESNEY, Robert W. The Problem of Journalism: a political economic contribution to an explanation of the crisis in contemporary US journalism. Journalism Studies, v. 4, n. 3, pp. 299-329, 2003.
NIELSEN, Rasmus Kleis. The many crises of Western journalism: A comparative analysis of economic crises, professional crises, and crises of confidence. In: ALEXANDER, Jeffrey C.; BREESE, Elizabeth Butler; LUENGO, María (Eds). The crisis of journalism reconsidered: Democratic culture, professional codes, digital future. Cambridge: Cambridge University Press, 2016, p. 77-97.
ÖRNEBRING, Henrik; CONILL, Raul Ferrer. Outsourcing newswork. In: WITSCHGE, Tamara; ANDERSON, C.W.; DOMINGO, David; HERMIDA, Alfred. (eds). The Sage Handbook of Digital Journalism. Sage Publications, 2016, p. 207-221.
PONTES, Felipe Simão. Desigualdades estruturais de gênero no trabalho jornalístico: o perfil das jornalistas brasileiras. E-Compós, Brasília, v. 20, n. 1, p. 1-15, 2017.
ROBINSON, Sue. Convergence crises: news work and news space in the digitally transforming newsroom. Journal of Communication, v. 61, pp. 1122-1141, 2011.
RUSSI, Anna Carolina; MOSER, Magali; OLIVEIRA, Maurício. O que o futuro nos reserva? In: CHRISTOFOLETTI, Rogério. Questões para um jornalismo em crise. Florianópolis: Insular, 2015, p. 17-31.
SILES, Ignacio; BOCZKOWSKI, Pablo. Making sense of the newspaper crisis: A critical assessment of existing research and an agenda for future work. New Media & Society, v. 14, n. 8, pp. 1375-1394, 2012.
SILVA, Cláudio Marcos da. A precarização da atividade jornalística e o avanço da pejotização. 215 f. (Dissertação - Mestrado em Comunicação) - Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2014.
SOUZA, Rafael Bellan Rodrigues de. A dialétyica da crise do jornalismo: o sociometabolismo do capital e seus limites estruturais. Intercom, v. 41, n. 2, p. 55-69, 2018.
VAN DER HAAK, Bregtje; PARKS, Michael; CASTELLS, Manuel. The Future of Journalism: Networked Journalism. International Journal of Communication, n. 6, p. 2923-2938, 2012.
WIIK, Jenny. Internal boundaries: The stratification of the journalistic collective. In: CARLSON, Matt; LEWIS, Seth C. (Eds). Boundaries of Journalism: professionalism, practices and participation.
ZELIZER, Barbie. Terms of choice: uncertainty, journalism and crisis. Journal of Communication, n. 65, p. 888-908, 2015.
Publicado
10-09-2020
Como Citar
Quesada Tavares, C., Xavier, C., & Simão Pontes, F. (2020). Os jornalistas brasileiros em contextos de crises: : uma análise das trajetórias profissionais de 2012 a 2017. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2040
Seção
Ahead of Print