DINÂMICAS DE PUBLICIZAÇÃO E MOBILIZAÇÃO SOCIAL

agentes implementadores no enfrentamento à exploração sexual

  • Laura Nayara Pimenta Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Palavras-chave: Mobilização social, Burocracia de nível de rua, Exploração sexual infantojuvenil

Resumo

O presente texto apresenta uma discussão teórico-empírica sobre as dinâmicas de publicização e mobilização social engendradas por agentes implementadores no enfrentamento à exploração sexual infantojuvenil na cidade de Itaobim, Minas Gerais. Para tanto, está ancorado nas teorias da burocracia de nível de rua (LIPSKY, 2010) e da mobilização social (HENRIQUES, 2017A, 2017B). Do ponto de vista empírico, analisa as ações de mobilização e publicização feitas pelos agentes em questão, através de pesquisas documentais, entrevistas em profundidade com os burocratas e outros atores, além de observações sistemáticas de situações de aparecimento público desses agentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Nayara Pimenta, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Doutora e mestre em Comunicação e Sociabilidade pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais. Bacharel em Relações Públicas pelo Centro Universitário Newton Paiva.

Referências

BARTELS, K.P.R. Public Encounters: the history and future of face-to-face contact between public professionals and citizens. Public Administration v.91, N.2, 2013, p.469–483.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho 1990. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 13 jul. 1990. Disponível em: http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/818585 /lei-8069-90. Acesso em: 29 jun. 2015.

CAL, D. G. R. Entre o privado e o público: contextos comunicativos, deliberação e trabalho infantil doméstico. Dissertação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

CALDEIRA, J. A. Condições de publicidade em processos de accountability: uma análise a partir da Comforça de Venda Nova. 2017. 124 f. Dissertação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

CECRIA – Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes. Repensando os conceitos de violência, abuso e exploração sexual de crianças e de adolescentes. Brasília: 2000.

CEFAÏ, D. Como nos mobilizamos? A contribuição de uma abordagem pragmatista para a sociologia da ação coletiva. Tradução: Bruno Cardoso. Dilemas – Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v.2, n.4, 2009, p.11-48.

CEFAÏ, D. Públicos, problemas públicos, arenas públicas... o que nos ensina o pragmatismo (Parte 1). Tradução de Rosa Freire d’Aguiar. Novos Estudos CEBRAP, n.107, março 2017, p.187-213

FASSIN, D. et. al. At the Heart of the State: the moral world of institutions. London: Pluto Press. 2015. 305p.

FERREIRA, V. R. S.; MEDEIROS, J. J. Fatores que moldam o comportamento dos burocratas de nível de rua no processo de implementação de políticas públicas. Cad. EBAPE. BR, v.14, n.3, Artigo 7, Rio de Janeiro, jul./set. 2016.

HENRIQUES, M. S. Comunicação e mobilização social na prática da polícia comunitária. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2010.

_________________. A comunicação e a condição pública dos processos de mobilização social. Revista Açãomidiática – Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura, Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, v.2. n.1, p.1-12, 2012.

_________________.. As organizações e a vida incerta dos públicos. In: MARQUES, A.; OLIVEIRA, I.; LIMA, F. (Orgs.). Comunicação Organizacional: vertentes conceituais e metodológicas, v. 2. Belo Horizonte: Selo PPGCOM, 2017a.

_________________. Dimensões dos públicos nos processos de comunicação pública: formas de conhecimento, ação e organização. In: SCROFERNEKER, Cleusa Maria Andrade; AMORIM, Lidiane Ramirez de (Orgs.) (Re) leituras contemporâneas sobre comunicação organizacional e relações públicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2017b.

HUPE, P.; HILL, M. Street-level bureaucracy and public accountability. Public Administraton, v. 85, n. 2, p. 279-299, 2007

KUSCHNIR, K. O cotidiano da política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

LIPSKY, M. Street-level bureaucracy. Dilemmas of the individual in public service. 30th anniversary expanded editon. New York: Russell Sage Foundaton, 2010. 275 p.

LOTTA, G. S. Implementação de políticas públicas: o impacto dos fatores relacionais e organizacionais sobre a atuação dos Burocratas de Nível de Rua no Programa Saúde da Família. 2010. 295f. Tese, Universidade de São Paulo, São Paulo.

MAFRA, R. L. Mobilização social e comunicação: por uma perspectiva relacional. Belo Horizonte: Mediação, v.11, n.10, p.105-118, jan./jun. 2010.

MAYNARD-MOODY, S.; MUSHENO, M. Cops, teachers, counselors: stories from the front lines of public services. Ann Arbor: University of Michigan Press, 2003. 221p.

PIMENTA, L.; HENRIQUES, M. S. O elefante na sala: dinâmicas do silêncio e obstáculos à efetivação da cidadania no problema da exploração sexual infantojuvenil. Revista Compolítica, v.9, n.3, p.39-61, 2019.

PIMENTA, L. Processos mobilizadores em contextos embaraçosos: a atuação dos agentes implementadores no enfrentamento à exploração sexual infantojuvenil no Vale do Jequitinhonha. 2019. 295f. Tese, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

WEBER, M. H. Nas redes de comunicação pública, as disputas possíveis de poder e visibilidade. In: WEBER, M. H.; COELHO, M. P.; LOCATELLI, C. (Orgs.). Comunicação pública e política: pesquisa e práticas. Florianópolis: Insular, 2017.
Publicado
10-09-2020
Como Citar
Pimenta, L. N. (2020). DINÂMICAS DE PUBLICIZAÇÃO E MOBILIZAÇÃO SOCIAL: agentes implementadores no enfrentamento à exploração sexual . E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2157
Seção
Ahead of Print