Notas teóricas sobre influenciadores digitais e Big Brother Brasil

visibilidade, autenticidade e motivações

Palavras-chave: Influenciadores digitais. Autenticidade. Reality show. Big Brother Brasil.

Resumo

O artigo tem como principal objetivo analisar a presença de influenciadores digitais no reality show Big Brother Brasil (TV Globo, 2020). A vigésima edição do programa contou com dois grupos de participantes: os convidados pela produção (Camarote) e os inscritos (Pipoca). Os influenciadores digitais fizeram parte dos brothers convidados e, por isso, neste trabalho, são analisados os discursos desses sujeitos a fim de desvelar as principais motivações para participar do programa. Como resultado, observou-se ênfase na busca por autenticidade, conferida pelo confinamento, e também exigida nas relações digitais com seus seguidores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Issaaf Karhawi, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil

Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Atua como pesquisadora no COM+, grupo de pesquisa em Comunicação, Jornalismo e Mídias Digitais da ECA-USP.

 

Referências

ABIDIN, C. Communicative Intimacies: Influencers and Perceived Interconnectedness. Journal of Gender, New Media, & Technology, College Park, v. 8, nov. 2015. Disponível em: <http://adanewmedia.org/2015/11/issue8-abidin/>. Acesso em: 12 out. 2017.

ABIDIN, C. Internet celebrity – Understanding fame online. United Kingdom: Emerald Publishing, 2018.

AMOSSY, R. Da noção retórica de ethos à análise do discurso. In: AMOSSY, R. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2014. p. 9-28.

BLOOD, R. Introduction. In. RODZVILLA, John (org.). We've got blog: How weblogs are changing our culture. Cambridge: Perseus Publishing, 2002.

BON, O. A autenticidade que legitima: o blog Petiscos e a celebridade de Julia Petit. Ciberlegenda (UFF. Online), v. 2014/2, p. 99-109, 2014.

BRUNO, F. Máquinas de ver, modos de ser: vigilância, tecnologia e subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2013.

CAMPANELLA, B. Compreensão e afetividade: o fã dentro da lógica comercial do Big Brother Brasil. E-Compós, v. 10, 2007a.

CAMPANELLA, B. Investindo no Big Brother Brasil: uma análise da economia política de um marco da indústria midiática brasileira. E-Compós, v. 8, 2007b.

CAMPANELLA, B. Tirando as máscaras: o reality show e a busca pela autenticidade
no mundo contemporâneo. E-Compós, v. 16, n. 1, jan/abr. 2013.

CRISCUOLO, I., MONTEIRO, T. e NAVARRO, V. Micros com influência macro. Meio & Mensagem. 07 de Agosto de 2017. N. 1772. Ano XXXIX.

FINDLAY, R. The short, passionate, and close-knit history of personal style blogs. Fashion Theory, v. 19, n. 2, 157-178, 2015.

FIORIN, J. L. Enunciação e Comunicação. In: FIGARO, R. (org.). Comunicação e Análise do Discurso. São Paulo: Contexto, 2012. p. 45-78.

FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FRANÇA, V. V. Celebridades: Identificação, idealização ou consumo?. In: FRANÇA, Vera et al. Celebridades no Século XXI: transformações no estatuto da fama. Porto Alegre: Sulina, 2014. p. 15-36

JENKINS, H.; GREEN, J.; FORD, S. Cultura da Conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Aleph, 2014.

KARHAWI, I. De blogueira à influenciadora digital de moda e beleza: evolução e motivações da prática. In: SCHMITZ, D.; WAJNMAN, S. A moda na mídia: produzindo costuras. Curitiba: Appris, 2018. p. 137-154.

KARHAWI, I. Influenciadores digitais: conceitos e práticas em discussão. Communicare, São Paulo, v.17, edição comemorativa, p.46-61, 2017.

KARHAWI, I. Influenciadores digitais: o Eu como mercadoria. In. SAAD-CORRÊA, E. N.. SILVEIRA, S. C. Tendências em Comunicação Digital. São Paulo: ECA-USP, 2016.

LEITE, R. B. T. Youtuber: o produtor de conteúdo do Youtube e suas práticas de produção audiovisual. 2019. 278f. Tese (Doutorado em Estudos da Midia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.

LEMOS, A. A Arte da Vida. Webcams e Diários Pessoais na Internet. Revista de Comunicação e Linguagens, Relógio d'Água, Lisboa, p. 305-319, 2002.

MOTTA, B. S.; BITTENCOURT, M.; VIANA, P. M. F.. A influência de Youtubers no processo de decisão dos espectadores: uma análise no segmento de beleza, games e ideologia. E-compós. Brasília, v. 17, n. 3, p.1-25, set./dez. 2014. Disponível em: < https://goo.gl/0oBJ3l>. Acesso em: 10 mar. 2017.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. 10. ed. Campinas: Pontes, 2012.

PEREZ, C.; TRINDADE, E. Consumo midiático: youtubers e suas milhões de visualizações. Como explicar? In. Anais XXVI Encontro Anual da Compós, Faculdade Cásper Líbero, São Paulo - SP, 06 a 09 de junho de 2017.

PRIMO, A. De narcisismo, celebridades, celetoides e subcelebridades: o caso Tessália e sua personagem Twittess. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 7, n. 20, p. 159-189, 2010.

RECUERO, R. Fluxos de Informação e Capital Social nos Weblogs. In: Steffens, César; STEFFEN, C.; POZENATO, K. M.. (Org.). Mídia, cultura e contemporaneidade. 1ed. Caxias do Sul: EDUCS, 2010 (online).

RECUERO, R. Weblogs, Webrings e Comunidades Virtuais. 404nOtFound (UFBA), v. 1, n.31, p. 1-15, 2003. Disponível em: < http://www.bocc.ubi.pt/pag/recuero-raquel-weblogs-webrings-comunidades-virtuais.pdf> Acesso em 25/10/2017.

ROCAMORA, A.; BARTLETT, D. Blogs de mode: les nouveaux espaces du discours de mode, Sociétés, n° 104 [2], p. 105-114, 2009. Disponível em < http://www.cairn.info/revue-societes-2009-2-page-105.htm> Acesso em: 02 Ago. 2013.

SAAD-CORRÊA, E. N. Precisamos refletir sobre influência na sociedade digitalizada. Communicare, São Paulo, v.17, edição comemorativa, p.26, 2017.

SENFT, T. M. Camgirls: celebrity & community in the age of social networks. New York: Peter Lang Publishing, 2008

SIBILIA, P. Autenticidade e performance: a construção de si como personagem visível. Fronteiras, São Leopoldo, v. 17, n. 3, p. 353-364, 2015.

SIBILIA, P. O show do eu: A intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SPINELLI, E. M., SILVA, D. R. da., Curador informacional e influenciador digital na produção de conteúdo musical. Communicare, São Paulo, v.17, edição comemorativa, p.126-143, 2017.

TAVERNARI, M.; MURAKAMI, M. O gênero dos Fashion Blogs: representações e autenticidades da moda e do feminino. RuMoRes, v. 6, n. 12, p. 85-106, 2 dez. 2012.

TERRA, C. F. Relacionamentos nas mídias sociais (ou relações públicas digitais): estamos falando da midiatização das relações públicas?. Organicom, São Paulo, p.105-117, jun. 2015.

THOMPSON, J. B. A nova visibilidade. MATRIZes, São Paulo, v. 1, n. 2, 2008. Disponível em: <http://www.matrizes.usp.br/index.php/matrizes/article/view/82/124> Acesso em 19/07/2015.
Publicado
06-10-2020
Como Citar
Karhawi, I. (2020). Notas teóricas sobre influenciadores digitais e Big Brother Brasil: visibilidade, autenticidade e motivações . E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2182
Seção
Ahead of Print