Músicas e sons que ecoam pelas ruas da cidade:

o evento Paulista Aberta

Palavras-chave: Territorialidade. Derivas. Música de rua. Comunicação urbana

Resumo

Este artigo apresenta alguns resultados de uma investigação sobre práticas musicais presentes no evento “Paulista Aberta” que ocorre aos domingos e feriados na Avenida Paulista/São Paulo. Usamos uma metodologia de inspiração etnográfica (derivas, observação, entrevistas e registros audiovisuais) e o caminhar como prática estética e política. Tensionamos a dicotomia espaços públicos/privados atentando para a lógica dos usos que são feitos das ruas e da música no contexto paulistano articuladas aos aspectos partilhados e dissensuais das sonoridades e dos territórios sonoros, analisando alguns dados empíricos das materialidades que envolvem estas práticas musicais no evento em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Luci Pereira, Universidade Paulista, São Paulo, São Paulo, Brasil

Doutora em Ciências Sociais - Antropologia pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Paulista – UNIP. Pós-Doutorado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pós-Doutorado em Música pela Unirio.  Bolsista do CNPQ (Bolsista de Produtividade em Pesquisa).

Lucimara Rett, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Doutora em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo. Professora Associada da Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ). Professora permanente do Programa de Pós-graduação EICOS, Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro (IP/UFRJ). Vice líder do grupo de pesquisa CIEC (UFRJ/CNPq) e membro do URBESOM (UNIP). 

Priscila Miranda Bezerra, Universidade Paulista, São Paulo, São Paulo, Brasil

Mestranda em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Paulista. Pesquisadora do GP URbeSom (Culturas Urbanas, Música e Comunicação). Bolsista CAPES Prosup Integral. 

Referências

BIELETTO, N. El estudio histórico de la música em las calles: reflexiones teóricometodológicas. Actas del XII Congreso de la IASPM-AL: Visiones de América, sonoridades de América. La Habana/ Cuba, 2016.

BIELETTO-BUENO, N. Noise, soundscape and heritage: Sound cartographies and urban segregation in twenty-first-century Mexico City. Journal of Urban Cultural Studies. v.4, n.1-2. p. 107-126. 2017.

BORN, G. (ed). Music, Sound and Space - Transformations of Public and Private Experience. Cambridge/UK: Cambridge University Press, 2013.

BUTLER, J. Corpos em aliança nas ruas. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 2018.

CAIAFA, J. Apresentação ao Dossiê Comunicação urbana. Revista Eco Pós. v.20, n.3. p. 1-9. 2017.

CAIAFA, J. Comunicação e diferença nas cidades. Lugar Comum - Estudos de Mídia, Cultura e Democracia. n.18, 2003. p.91-101.

CALDEIRA. T. P. R. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Editora 34/Edusp, 2000.

CARERI, F. Walkscapes: o caminhar como prática estética. São Paulo: Ed. G.Gilli, 2013.

CIDADE ATIVA. Paulista Aberta. (2019). Disponível em: <https://cidadeativa.org/iniciativa/leituras-urbanas/paulista-aberta/>. Acesso em 29 mar. 2019.

CRUCES, F. (coord.). Cosmópolis: nuevas maneras de ser urbanos. Barcelona: Gedisa, 2016.

DENORA, T. Music and everyday life. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

DELGADO, M. El animal público: hacia una antropología de los espacios urbanos. Barcelona: Anagrama, 1999.

FELD, S. Uma Acustemologia da floresta tropical. ILHA- Revista de Antropologia. v. 20, n. 1. p. 229-252. 2018.

FERNANDES, C.; HERSCHMANN, M (orgs). Cidades musicais: comunicação, territorialidade e política. Porto Alegre: Sulina, 2018.

FOUCAULT, M. Des espaces autres. In: Dits e Écrits, tome 2: 1976-1988. Paris: Gallimard, 2001. p.1571-1581.

FREHSE, F. Em busca do tempo nas ruas e praças de São Paulo. Ponto Urbe. n. 18. 2016-a.

FREHSE, F. Quando os ritmos corporais dos pedestres nos espaços públicos urbanos revelam ritmos da urbanização. Civitas. Porto Alegre, v. 16. n. 1. p. 100-118, 2016-b.

FREHSE, F. A rua no Brasil em questão (etnográfica). Anuário Antropológico/2012, v. 38, n. 2. p. 99-129. 2013.

FRÚGOLI JR., H. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: Cortez: Edusp, 2000.

GARCÍA CANCLINI, N. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2015.

HAESBAERT, R. Territórios em trânsito. In: BORDAS, Marie Ange (org.). Caderno Sesc Videobrasil 9: Geografias em movimento. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2013. p. 67-81.

HARVEY, D. O direito à cidade. Lutas sociais, São Paulo, n.29, p.73-89, jul/dez 2012.

HERSCHMANN, M.; FERNANDES, C. S. Música nas ruas do Rio de Janeiro. São Paulo: Intercom, 2014.

HOLANDA, C.; BARTHOLO, R. Sondando a cidade: memória, cartografias e caminhadas sonoras. Z Cultural. Ano XII, n.2. 2017.

JACQUES, P. Elogio aos errantes. Salvador: EDUFBA, 2012.

JANOTTI JR, J. ‘Partilhas do Comum’: cenas musicais e identidades culturais. Trabalho apresentado no GP Comunicação, Música e entretenimento, Intercom 2012. Anais.... Fortaleza: Intercom, 2012.

LEFEBVRE, H. La producción del espacio. Madrid: Capitán Swing Libros, 2013.

LYNCH, K. A imagen da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

NAKANO, A. K. Desigualdades habitacionais no “repovoamento” do centro expandido do município de São Paulo. Cadernos da Metrópole. São Paulo, v. 20. n. 41. p. 53-74. 2018.

NUNES, M. R. (org.) Cena cosplay: comunicação, consumo e memória nas culturas juvenis. Porto Alegre: Sulina, 2015.

OBICI, G. Condição da Escuta: mídias e territórios sonoros. São Paulo: 7 Letras/Fapesp, 2008.

OCHOA, A. M. Aurality: Listening and Knowledge in Nineteenth-Century Colombia, Durham/NC: Duke University Press, 2014.

PASSARELLI, G. Domingo na Paulista: como o projeto Ruas Abertas mudou a cara da avenida. 2018. In: 360 meridianos. Disponível em: <https://www.360meridianos.com/dica/domingo-na-paulista>. Acesso em 28 mar. 2019.

PAULISTA ABERTA POR UMA CIDADE MAIS HUMANA. In: Paulistaaberta. Minhasampa, 2016. Disponível em: <https://www.paulistaaberta.minhasampa.org.br/> Acesso em 28 maio. 2019.

PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (orgs.). Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

RANCIÈRE, J. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: Editora 34, 2006.

REIA, J. Ritmos da cidade: som, regulação e persistência da música de rua. Trabalho apresentado no GP Comunicação e Estudos de som e Música, Compós 2018. Anais.... Belo Horizonte, Junho/2018. 2018.

REIA, J. A cidade como palco: Artistas de rua e a retomada do espaço público nas cidades midiáticas. Contemporânea, n. 24, v. 12, n.2. p. 33-48. 2014.

REIA, J.; HERSCHMANN, M.; FERNANDES, C. Entre regulações e táticas: músicas nas ruas da cidade do Rio de Janeiro. Famecos - mídia, cultura, tecnologia. Porto Alegre, v. 25, n. 3, p. 1-23, set-dez/2018.

REINA, M.L.; COMARU, F.A. Dinâmicas imobiliárias e políticas urbanas no centro de São Paulo: uma discussão sobre gentrificação na Mooca. Cadernos da Metrópole. São Paulo, v. 17. n. 34.p. 419-440. 2015.

RELATÓRIO AVALIAÇÃO DE IMPACTO DA PAULISTA ABERTA NA VITALIDADE URBANA. In: Labmob, 2019. Disponível em < http://www.labmob.prourb.fau.ufrj.br/wp-content/uploads/2019/11/Relatorio_Avalia%C3%A7%C3%A3o-Impacto-Paulista-Aberta-Vitalidade-Urbana_090919.pdf> Acesso em 21 mai. 2019.

SANSÃO FONTES, A.; COURI FABIÃO, A. Além do público - privado: intervenções temporárias e criação de espaços coletivos no Rio de Janeiro. Revista de Arquitectura. n. 18, v.2, p. 27-39. 2016.

SANTOS, F. C. Por uma escuta nômade: a música dos sons da rua. São Paulo: EDUC/ Fapesp, 2004.

SÃO PAULO. Governo do Estado de São Paulo. Avenida Paulista. Disponível em: <http://www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp/pontos-turisticos/avenida-paulista/>. Acesso em 10 abr. 2020.

SCHAFER, R. M. A afinação do mundo: uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto do nosso ambiente: a paisagem sonora. São Paulo: Unesp, 2001.

TROTTA, F. Som, ruído e música: instabilidades conceituais. Trabalho apresentado no GP Comunicação e Estudos de som e Música, Compós 2019. Anais.... Porto Alegre, Junho/2019. 2019.

VALVERDE, R. R. Sobre espaço público e heterotopia. Geosul. Florianópolis. v. 24, n. 48, p. 7-26, jul./dez 2009.

VANNUCHI, L.V.B. A gentrificação, o complexo e o oco: números e notas sobre o “renascimento” do centro de São Paulo. Artigo apresentado no Seminário Internacional Gentrificação: Medir, Prevenir, Enfrentar. Anais.... FAU/USP, Dezembro de 2018. Disponível em: <http://outrosurbanismos.fau.usp.br/seminario-internacional-gentrificacao-medir-prevenir-enfrentar-anais/> Acesso em: 12 out. 2020.

VOCÊ SABE ONDE ESTÃO AS RUAS ABERTAS. In: Ruasabertas.Minhasampa, 2016. Disponível em: <https://www.ruasabertas.minhasampa.org.br/> Acesso em 09 set. 2018.

Publicado
18-01-2021
Como Citar
Pereira, S. L., Rett, L., & Bezerra, P. M. (2021). Músicas e sons que ecoam pelas ruas da cidade: : o evento Paulista Aberta. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2267
Seção
Ahead of Print