A impossibilidade da comunicação:

o relativismo epistemológico de Górgias de Leontinos no contexto da Antiguidade grega e os estudos de comunicação

Palavras-chave: Sofistas, Relativismo, Verdade, Filosofia da Comunicação, Ontologia da Comunicação

Resumo

Aristóteles é estimado como a fonte mais importante para os estudos de comunicação na Antiguidade grega. Isso vem de uma tradição filosófica racionalista que, por muito tempo, dificultou o reconhecimento da sofística como um movimento produtor de teorias filosóficas autênticas. O objetivo deste artigo é apresentar a ontologia do sofista Górgias de Leontinos como uma possível contribuição da filosofia antiga para os estudos de comunicação. Nossa conclusão é que o resgate da sofística estimula uma concepção de comunicação que leva a temas importantes para a sociedade grega assim como para a sociedade contemporânea, mobilizando as noções de verdade, discurso e realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Cássio Oliveira, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil

Doutor em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais. Professor adjunto da Universidade Federal de Goiás, onde atua no curso de graduação em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) e no Programa de Pós-Graduação em Performances Culturais (Mestrado e Doutorado) da Faculdade de Ciências Sociais (FCS).

Referências

ARISTÓTELES. On rhetoric: a theory of civic discourse. 2 ed. Tradução: George Alexander Kennedy. New York: Oxford University Press, 2007.

______. Órganon. Tradução: Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2005.

BERTI, E. As razões de Aristóteles. Tradução: Dion Davi Macedo. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

BITTAR, E. C. B. Curso de filosofia aristotélica: leitura e interpretação do pensamento aristotélico. Barueri: Manole, 2003.

BORNHEIM, G. A. Os Filósofos Pré-Socráticos. São Paulo: Cultrix, 1998.

BRAGA, J. L. Nem rara, nem ausente – tentativa. Matrizes, v. 4, n. 1, p. 65–81, dez. 2010.

CORREIO BRAZILIENSE. YouTube remove vídeo de Olavo de Carvalho que fala que pandemia não existe. 2020. Disponível em: <https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2020/03/23/interna-brasil,836201/youtube-remove-video-de-olavo-de-carvalho-que-fala-que-pandemia-nao-ex.shtml>. Acesso em: 22 ago. 2020.

CRICK, N. The Sophistical Attitude and the Invention of Rhetoric. Quarterly Journal of Speech, v. 96, n. 1, p. 25–45, 1 fev. 2010.

DINUCCI, A. L. Análise das três teses do Tratado do Não-Ser de Górgias de Leontinos. O que nos faz pensar, v. 17, n. 24, p. 5–22, 1 out. 2008.

EL-JAICK, A. P. A Discursive Analysis of Jair Bolsonaro: populist and ethical (lack of) limits through language. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 59, n. 1, p. 538–560, abr. 2020.

______. O Discurso é um grande Soberano: o poder da linguagem e um elogio aos sofistas. Revista Ética e Filosofia Política (UFJF), v. 2, n. 19, p. 20, 2016.

EMPOLI, G. DA. Os engenheiros do caos: como as fake news, as teorias da conspiração e os algoritmos estão sendo utilizados para disseminar ódio, medo e influenciar eleições. Tradução: Arnaldo Bloch. São Paulo: Vestígio, 2019.

GIORDANI, M. C. História da Grécia. Petrópolis: Vozes, 1992.

GLADYSHEV, V.; PENNER, R. The Problem of Communication in Aristotle’s Ethical Works and Modernity. In: SGEM2016 Conference Proceedings: Anthropology, Archaeology, History & Philosophy. Sofia: Stef92, 2016, v. 2, p. 901–906. (International Multidisciplinary Scientific Conference on Social Sciences and Arts).

GUTHRIE, W. K. C. Os sofistas. Tradução: João Rezende Costa. São Paulo: Paulus, 2007.

HABERMAS, J. Teoria do agir comunicativo. São Paulo: Martins Fontes, 2012. 2 v.

HABGOOD-COOTE, J. Stop talking about fake news! Inquiry, p. 1–33, 11 ago. 2018.

HOHLFELDT, A. As origens antigas: a comunicação e as civilizações. In: HOHLFELDT, A; MARTINO. L. C.; FRANÇA, V. V. Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis: Vozes, 2001.

HRČKOVÁ, A. et al. Unravelling the basic concepts and intents of misbehavior in post-truth society. Bibliotecas. Anales de Investigación, v. 15, n. 3, p. 421–428, 28 maio 2019.

IL POST. La versione di Carlo Sibilia sullo sbarco sulla Luna. 2018. Disponível em: <http://www.ilpost.it/2018/06/21/carlo-sibilia-sbarco-luna/>. Acesso em: 22 ago. 2020.

ITUASSU, A. et al. Comunicación política, elecciones y democracia: las campañas de Donald Trump y Jair Bolsonaro. Perspectivas de la comunicación, v. 12, n. 2, p. 11–37, dez. 2019.

JAEGER, W. Paidéia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

JAKOBSON, R. Linguistica e comunicação. São Paulo (SP): Cultrix, 2010.

KITTO, H. D. F. The Greeks. Harmondsworth: Penguin, 1991.

LAKETA, S. “Even if it didn’t happen, it’s true”: The fantasy of geopolitics in the “post-truth” era. Emotion, Space and Society, v. 31, p. 155–161, maio 2019.

LASSWELL, H. Attention structure and social structure. In: BRYSON, Lyman (Org.). The communication of ideas, a series of addresses. New York: Institute for Religious and Social Studies, 1948. Disponível em: <http://archive.org/details/communicationofi00jewi>. Acesso em: 17 ago. 2020.

LEWANDOWSKY, S.; ECKER, U. K. H.; COOK, J. Beyond Misinformation: Understanding and Coping with the “Post-Truth” Era. Journal of Applied Research in Memory and Cognition, v. 6, n. 4, p. 353–369, dez. 2017.

LÓPEZ-ASTORGA, M. Gorgias’ Argument does not Include Actual Conditionals. Problemos, v. 93, p. 81–89, 22 out. 2018.

MARCONDES FILHO, Ciro. Até que ponto, de fato, nos comunicamos? São Paulo: Paulus, 2004.

MARQUES DE MELO, J. Teoria da comunicação: paradigmas latino-americanos. Petrópolis, RJ: Voces, 1998.

MARTINO, L. M. S. Dos “Fundamentos Científicos” à “Teoria da Comunicação”: uma controvérsia epistemológica nas origens da Área. Comunicação & Informação, v. 21, n. 3, p. 107, 6 dez. 2018.

MARTINO, L. M. S. Quatro ambivalências na Teoria da Comunicação. RuMoRes, v. 4, n. 8, 6 dez. 2010.

MCWILLIAMS, S. A. Truth as Trophy: The Social Construction of Veracity. Journal of Constructivist Psychology, p. 1–12, 17 fev. 2020.

MELO, J. M. de. Comunicação social: teoria e pesquisa. Petrópolis: Vozes, 1971.

MOTA, T. Nietzsche e as perspectivas do perspectivismo. Cadernos Nietzsche, n. 27, p. 213–237, 2010. DOI: 10.34024/cadniet.2010.n27.7780.

ORTEGA Y GASSET, J. Meditações do Quixote. Tradução: Gilberto de Mello Kujawski. São Paulo: Livro Ibero-Americano, 1967.

PLATÃO. A República. Tradução: Maria Helena da Rocha Pereira. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

______. Diálogos: Protágoras – Górgias – O Banquete – Fedão. v. 3/4. Tradução: Carlos Alberto Nunes. Belém: Universidade Federal do Pará, 1980.

______. Diálogos: O Banquete – Fédon – Sofistas – Político. Traduções: José Cavalcante de Souza (O Banquete), Jorge Paleikat e João Cruz Costa (Fédon, Sofista, Político). São Paulo: Abril Cultural, 1972. (Coleção Os Pensadores.)

______. Teeteto. Tradução: Adriana Manuela Nogueira e Marcelo Boeri. 4. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2005.

POULAKOS, J. Rhetoric, the sophists, and the possible. Communication Monographs, v. 51, n. 3, p. 215–226, 1 set. 1984.

RECUERO, R.; SOARES, F. O Discurso Desinformativo sobre a Cura do COVID-19 no Twitter: Estudo de caso. E-Compós, Preprint (SciELO), 10 jun. 2020. Disponível em: < https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/84/version/795> Acesso em: 29 jun. 2020.

ROMEYER-DHERBEY, G. Os Sofistas. Lisboa: Edições 70, 1986.

ROSS, D. Aristóteles. Tradução: Luís Felipe Bragança S. S. Teixeira. Lisboa: Publicações Don Quixote, 1987.

SCHIAPPA, E. Rhêtorikê: What’s in a name? Toward a revised history of early Greek rhetorical theory. Quarterly Journal of Speech, v. 78, n. 1, p. 1–15, 1 fev. 1992.

SEXTUS EMPIRICUS. Against the logicians. Tradução: Richard Arnot Home Bett. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

SOUSA, J. P. Elementos de teoria e pesquisa da comunicação e dos media. 2ª. edição revista e ampliada. Porto: BOOC/UBI, 2006. Disponível em: Acesso: 29 jun. 2020.

SPINELLI, M. Filósofos pré-socráticos: primeiros mestres da filosofia e da ciência grega. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

VAN DUYN, E.; COLLIER, J. Priming and Fake News: The Effects of Elite Discourse on Evaluations of News Media. Mass Communication and Society, v. 22, n. 1, p. 29–48, 2 jan. 2019.

VATTIMO, Gianni. Adeus à verdade. Tradução: João Batista Kreuch. São Paulo: Vozes, 2016.

Publicado
15-01-2021
Como Citar
Oliveira, R. C. (2021). A impossibilidade da comunicação:: o relativismo epistemológico de Górgias de Leontinos no contexto da Antiguidade grega e os estudos de comunicação. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2301
Seção
Ahead of Print