O presente como história: estéticas da elaboração no cinema brasileiro contemporâneo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30962/ec.2463

Palavras-chave:

Cinema, Memória, Elaboração

Resumo

Na trilha de Andreas Huyssen (2014), que identifica uma preocupação central com a memória na cultura contemporânea (resposta à confiança decrescente no futuro das sociedades ocidentais), o artigo busca examinar como o cinema brasileiro recente tem elaborado a experiência histórica. Para tanto, realiza um pequeno inventário, testando a reunião dos filmes em séries, de modo a indicar e caracterizar “figuras de elaboração histórica” recorrentes nesta filmografia. Em nosso mapeamento, destaca-se a aposta no “presente como história”: sob a sombra de um “passado que não passa” ou desenhado como “avesso do futuro”, o presente ganha centralidade em filmes que assumem a tarefa da rememoração crítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Mesquita, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Doutora em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Professora do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais. 

Referências

AB'SÁBER, Tales. Cabra marcado para morrer, cinema e democracia. In: OHATA, Milton (Org.). Eduardo Coutinho. São Paulo: Cosac Naify, 2013, p. 505-522.

______. Ordem e violência no Brasil. In: KUCINSKY, Bernardo (Org.).Bala perdida: a violência policial no Brasil e os desafios para sua superação. São Paulo: Boitempo, 2015, pp.97-102.

ALVARENGA, Clarisse. Da cena do contato ao inacabamento da história: Os últimos isolados (1967-1999), Corumbiara (1986-2009), Os Arara (1980-). Salvador: EDUFBA, 2017.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1986.

______. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

BERNARDET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Cia. das Letras, 2003.

BRASIL, André. Encruzilhadas, andarilhos, aprendizes – sobre três filmes-performance. Significação – Revista de Cultura Audiovisual. São Paulo, v. 47, n. 53, p. 21-47, jan./jun. 2020.

______. Retomada: teses sobre o conceito de história. In: TORRES, Júnia et al. (Org.) Catálogo doforumdoc.bh 2016. Belo Horizonte: Associação Filmes de Quintal, 2016.

______. Rumo à terra do povo do raio: retomada das imagens, retomada pelas imagens em Martírio e Ava Yvy Vera.In: BRASIL, A.; FURTADO, B.; PARENTE, A. Imagem e exercício da liberdade: cinema, fotografia e artes - imagem contemporânea III. Fortaleza: Imprensa Universitária UFC, 2020.

FREITAS, Kênia; BARROS, Laan. Experiência estética, alteridade e fabulação no cinema negro. Revista ECO Pós. Dossiê Racismo. Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 97-121, 2018.

______. Fabulações críticas em curta-metragens negros brasileiros. Multiplot! – revista eletrônica de crítica de cinema, 2019. Disponível em: http://multiplotcinema.com.br/2019/03/fabulacoes-criticas-em-curta-metragens-negros-brasileiros/.

______. Branco Sai Preto Fica (Adirley Queirós, 2014). Multiplot! – revista eletrônica de crítica de cinema, 2015. Disponível em: http://multiplotcinema.com.br/2015/04/branco-sai-preto-fica-adirley-queiros-2014/.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. Memória, história, testemunho. In: Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

GODARD, J-L.; ISHAGHPOUR, Y. Archéologie du cinéma et mémoire du siècle (dialogue). Tours: Farrago,2000.

HARTOG, François. Regimes de historicidade. Presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2013.

HOLSTON, James. A cidade modernista: uma crítica de Brasília e sua utopia. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

HORA, Tatiana. Utopias de Brasília no cinema: o desvio contra a arquitetura e a história. 2019. Tese (Doutorado em Comunicação Social). UFMG. Belo Horizonte, 2019.

HUYSSEN, Andreas. Culturas do passado-presente: modernismos, artes visuais, políticas da memória. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

KEHL, Maria Rita. Tortura e sintoma social. In: SAFATLE, Vladimir; TELES, Edson (Org.). O que restada ditadura: a exceção brasileira. São Paulo: Boitempo, 2010.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro:Contraponto, 2006.

KRISTEVA, Julia. Sol negro - depressão e melancolia. Rio de Janeiro: Rocco, 1989.

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio – uma leitura das teses “Sobre o conceito dehistória”. São Paulo: Boitempo, 2005.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Proj. História, São Paulo, PUC-SP, n. 10, p. 7-28, dez.1993. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/viewFile/12101/8763

SELIGMANN-SILVA, Marcio. O local do testemunho. Tempo e argumento. Revista do Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, v.2, n.1, p. 3-20, jan./jun. 2010.

SILVA, Mateus Araújo. Eduardo Coutinho, Pierre Perrault e as prosódias do mundo. In: OHATA, Milton (Org.). Eduardo Coutinho. São Paulo: CosacNaify, 2013, p. 432-439.

______. Straub, Huillet e o ensaísmo dos outros. Devires– Cinema e Humanidades, Belo Horizonte, v. 10, n. 1, p. 108-137, jan./jun. 2013b.

Filmografia

A CIDADE É UMA SÓ? Direção: Adirley Queirós. Produtora: Ceicine. Brasil, 2012. 1 DVD (79 min).

BRANCO SAI, PRETO FICA. Direção: Adirley Queirós. Produtora: Ceicine. Brasil, 2014. 1 DVD (93 min).

CABRA MARCADO PARA MORRER. Direção: Eduardo Coutinho. Produtora: Mapa Filmes. Brasil, 1984. 1 DVD (120 min).

CORUMBIARA. Direção: Vincent Carelli. Produtora: Vídeo nas Aldeias. Brasil, 2009. 1 DVD (117 min).

ERA UMA VEZ BRASÍLIA. Direção: Adirley Queirós. Produtora: Ceicine. Brasil, 2017. 1 DVD (100 min).

JOAQUIM. Direção: Marcelo Gomes. Produtora: REC. Brasil, 2017. 1 DVD (102 min).

MARTÍRIO. Direção: Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tita. Produtora: Vídeo nas Aldeias. Brasil, 2016. 1 DVD (162 min).

O SOM AO REDOR. Direção: Kleber Mendonça Filho. Produtora: Cinemascópio. Brasil, 2012. 1 DVD (131 min).

ORESTES. Direção: Rodrigo Siqueira. Produtora: 7Estrelo. Brasil, 2015. 1 DVD (93 min).

OS INCONFIDENTES. Direção: Joaquim Pedro de Andrade. Produtora: Filmes do Serro. Brasil, 1972. 1 DVD (100 min).

PIRINOP, MEU PRIMEIRO CONTATO. Direção: Mari Corrêa e Kanaré Ikpeng. Produtora: Mari Corrêa. Brasil, 2007. 1 DVD (83 min).

RECIFE FRIO. Direção: Kleber Mendonça Filho. Produtora: Cinemascópio. Brasil, 2010. 1 DVD (25 min).

SERRAS DA DESORDEM. Direção: Andrea Tonacci. Produtora: Extremart. Brasil, 2006. 1 DVD (130 min).

Downloads

Publicado

03-11-2021

Como Citar

Mesquita, C. (2021). O presente como história: estéticas da elaboração no cinema brasileiro contemporâneo: . E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2463

Edição

Seção

Ahead of Print