Uma história de amor juvenil

  • João Maia
  • Pedro Prata
Palavras-chave: juventude, comunidade, cidadania cultural, Mangueira

Resumo

Buscaremos compreender como a juventude da Candelária, uma sub-localidade da favela da Mangueira, no Rio de Janeiro, se apropria das tecnologias da comunicação e exerce expressões de uma forma de cidadania: a cultural. Esses jovens articulam alguns elementos digitais que são normalmente associados a uma racionalidade caracterizada pela velocidade moderna da produtividade objetiva, mas fazem um uso diferente nas relações de sociabilidade cotidiana e banal na comunidade. Em meio à celerada cidade contemporânea, o uso da cultura digital poderá servir de suporte para afirmar uma nova cidadania que se elabora a partir da cultura comunitária. A cultura comunitária, com sua sociabilidade popular, considera várias fontes de saber para criar e difundir o conhecimento sobre a cidade. A partir dessa sociabilidade popular e criativa, acessamos o universo de informações em fluxos acelerados. As novas articulações de poderes deslocalizam os saberes que legitimavam o conhecimento sobre a formação da sociabilidade comunitária popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
11-12-2008
Como Citar
Maia, J., & Prata, P. (2008). Uma história de amor juvenil. E-Compós, 11(1). https://doi.org/10.30962/ec.276
Seção
Dossiê Temático