“Como é linda a minha aldeia”: o papel dos gêneros musicais massivos na construção de uma imagem mítica de Portugal

  • Tiago José Lemos Monteiro
Palavras-chave: Relações Brasil-Portugal, Música Popular Massiva, Nacional-cançonetismo, Estereótipo, Salazarismo.

Resumo

O objetivo deste paper é investigar em que medida alguns gêneros musicais populares massivos e midiáticos atuaram no sentido de reforçar uma determinada imagem mítica de Portugal, associada à condição de destino turístico ou direcionada à comunidade migrante residente no exterior, sobretudo durante a última década do Salazarismo (1964-1974) e também ao longo do decênio posterior. Inicialmente, busco estabelecer uma conexão entre o imaginário simbólico consagrado nessa época e as representações hegemônicas sobre Portugal que hoje circulam nas revistas e cadernos de turismo, notadamente naqueles cujo foco é a capital Lisboa. Em um segundo momento, tendo em vista nosso (des)conhecimento da produção musical portuguesa contemporânea, discuto como a predominância de formatos enquadrados naquilo que se consagrou como nacional-cançonetismo está intimamente relacionada à perpetuação de alguns “recortes” estereotipizantes sobre Portugal, associada, quase sempre, a iniciativas de caráter político e mercadológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
22-06-2009
Como Citar
Monteiro, T. J. L. (2009). “Como é linda a minha aldeia”: o papel dos gêneros musicais massivos na construção de uma imagem mítica de Portugal. E-Compós, 12(1). https://doi.org/10.30962/ec.349
Seção
Dossiê Temático