Visualizando o "eu": sobre a dimensão política das imagens cerebrais

  • Cesar Pessoa Pimentel
  • Paulo Vaz
Palavras-chave: imagens cerebrais, panoptismo, meios de comunicação

Resumo

As neurociências e as imagens cerebrais têm crescente prestígio social. O propósito do presente artigo é enviar as tecnologias contemporâneas de visualização do cérebro a uma dimensão política, investigando com base nos conceitos foucaultianos os regimes de visibilidade aos quais o corpo é submetido. A análise se faz por comparação histórica. Inicialmente, abordamos a experiência da doença calcada na medicina clínica para, em seguida, chegar à aliança entre meios de comunicação e neurociências que caracteriza uma das faces do cuidado com o corpo nas sociedades atuais. Argumenta-se que o processo cada vez mais intenso de visualização do corpo não pode ser reduzido ao refinamento dos aparatos tecnológicos, ocorrendo significativas transformações na experiência do adoecimento, experiência esta acompanhada pela fluidificação dos limites entre normalidade e anormalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-10-2009
Como Citar
Pimentel, C. P., & Vaz, P. (2009). Visualizando o "eu": sobre a dimensão política das imagens cerebrais. E-Compós, 12(2). https://doi.org/10.30962/ec.400
Seção
Dossiê Temático

Most read articles by the same author(s)