O compadrio na formação das capitanias hereditárias da mídia brasileira

  • Álvaro Nunes Larangeira
Palavras-chave: Compadrio, Capitanias hereditárias, Mídia brasileira, Jornalismo, Formação

Resumo

Valendo-se, como analogia, da política das capitanias hereditárias adotada pela coroa portuguesa como processo de colonização do território brasileiro no século XVI e a distribuição das mesmas conforme o parentesco e apadrinhamento com o poder real, este artigo destaca a presença do compadrio entre o poder público e o jornalismo desde a gênese da imprensa no Brasil, com a Gazeta do Rio de Janeiro e o Correio Braziliense, em 1808, até os contemporâneos conglomerados midiáticos, aqui expostos os casos dos Diários Associados e, em especial, das Organizações Globo. O objetivo é mostrar quão questionáveis foram e são as propaladas retóricas de independência tão ao gosto dos veículos de comunicação e da imprensa brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
11-02-2010
Como Citar
Larangeira, Álvaro N. (2010). O compadrio na formação das capitanias hereditárias da mídia brasileira. E-Compós, 12(3). https://doi.org/10.30962/ec.435
Seção
Artigos Originais