O corpo como cogito: um cinema contemporâneo à luz de Merleau-Ponty

  • Julio Bezerra
Palavras-chave: cinema contemporâneo, fenomenologia, corpo

Resumo

Este ensaio nasce de uma constatação: o cinema contemporâneo está marcado por uma espécie de nova transnacional. Um cinema que se acha intimamente ligado a uma mudança de olhar lançado ao corpo. O corpo como reflexo, como metáfora, como lugar experimental de representação. A nossa hipótese é a de que a fenomenologia de Merleau-Ponty nos fornece valiosos instrumentos para ampliarmos a reflexão sobre um cinema que explora uma relação corporal com o mundo. O nosso objetivo é discutir essas questões em breves análises de três cineastas contemporâneos: Tsai Ming-Liang, A. Weerasethakul e Karim Ainouz.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
29-06-2010
Como Citar
Bezerra, J. (2010). O corpo como cogito: um cinema contemporâneo à luz de Merleau-Ponty. E-Compós, 13(1). https://doi.org/10.30962/ec.476
Seção
Artigos Originais