Entre a realidade jornalística e a realidade social: o jornalismo como forma de acesso ao cotidiano

  • Frederico de Mello Brandão Tavares
Palavras-chave: Realidade Social, Realidade Jornalística, Cotidiano, Linguagem, Mediação

Resumo

O artigo propõe considerar reportagens sobre transtornos mentais publicadas em revistas semanais brasileiras, nos últimos 15 anos, como peças publicitárias para estimular o consumo de edicamentos, especificamente, de antidepressivos. Investiga, então, o nexo entre consumo e subjetividade contemporânea pelo estudo das estratégias retóricas que permitem ao indivíduo se conceber como um possível doente e, assim, consumidor de medicamentos. Duas estratégias são enfatizadas. Uma contorna o estigma associado à doença mental por separar o sofrimento da moral; a outra analisa o uso de testes como modo de gerar uma incerteza no indivíduo sobre a normalidade de seus estados mentais. Palavras-Chave Mídia. Consumo. Subjetividade. Doença Mental. Antidepressivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
27-06-2012
Como Citar
Tavares, F. de M. B. (2012). Entre a realidade jornalística e a realidade social: o jornalismo como forma de acesso ao cotidiano. E-Compós, 15(1). https://doi.org/10.30962/ec.740
Seção
Artigos Originais