Freedom Graffiti: experiência estética em tempos de internet

  • Márcia Larangeira Jácome
  • Eduardo Duarte
Palavras-chave: Arte, Arte digital, Experiência, Experiência estética, Comunicação, Política, Partilha do sensível

Resumo

Este artigo traça uma abordagem inicial sobre experiência estética gerada no contato com obras veiculadas na internet, objetivando compreender o impacto das redes digitais na experiência sensível contemporânea. Tomou-se aqui a obra de arte Freedom Graffiti, gravura digital do artista plástico Tammam Azzam, fenômeno viral de grande repercussão na mídia. As referências teóricas utilizadas foram a concepção pragmática da arte como experiência, de John Dewey (2010); as relações entre estética e política, segundo o regime estético das artes, de Jacques Rancière (2005, 2009 e 2012) e os fundamentos da comunicação densa, de Ciro Marcondes Filho (2010). Abordaremos as tecnologias mediáticas, principalmente, como espaço comum de compartilhamento da fruição estética para mostrar que os processos comunicacionais na internet potencializam afetos e experiências estéticas que, articuladas ao interesse pelo compartilhamento de experiências em redes sociais digitais, ampliam as chances de participação a ‘um qualquer’ na construção de espaços igualitários de partilha do sensível.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-08-2014
Como Citar
Jácome, M. L., & Duarte, E. (2014). Freedom Graffiti: experiência estética em tempos de internet. E-Compós, 17(1). https://doi.org/10.30962/ec.932
Seção
Artigos Originais