A polifonia discursiva da Copa de 1994: os discursos autorizados sobre o tetracampeonato

  • Fausto Amaro Ribeiro Picoreli Montanha
  • Ronaldo George Helal
Palavras-chave: Esporte, Mídia, Discurso, Jornalismo, Copa do Mundo.

Resumo

O artigo discute a produção acadêmica e jornalística em torno da Copa do Mundo de Futebol de 1994. Tomando como base a noção de discursos autorizados, desenvolvida por Guedes (2010/2011) inspirada em Bourdieu (1983), estudamos odiscurso construído em torno desse evento a partir de oito enciclopédias e livros de Copas, do Jornal do Brasil (JB) e de edições comemorativas das revistas Época e Placar. A produção acadêmica investigada foi oriunda de anais de evento, artigos em periódicos e capítulos de livro. Observamos que enquanto o discurso autorizado da imprensa esportiva carece de reflexão e se deixa levar pelo senso comum, ao discurso acadêmico falta simplesmente variedade de repertório temático, referencial teórico e ampliação no número de autores. Os trabalhos acadêmicos abordaram, principalmente, a hermenêutica da derrota, a questão da identidade nacional, a publicidade e a presença do rádio. Palavras-Chave: Esporte. Mídia. Discurso. Jornalismo. Copa do Mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-03-2014
Como Citar
Amaro Ribeiro Picoreli Montanha, F., & Helal, R. G. (2014). A polifonia discursiva da Copa de 1994: os discursos autorizados sobre o tetracampeonato. E-Compós, 16(3). https://doi.org/10.30962/ec.975
Seção
Dossiê Temático