Midiatização Profunda, Plataformas e Logjects

  • Liráucio Girardi Jr Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil. Faculdade Cásper Líbero, São Paulo, São Paulo, Brasil https://orcid.org/0000-0001-5992-0758
Palavras-chave: Midiatização Profunda, Plataformas, Algoritmos, Cultura da Busca, Logjects

Resumo

Neste artigo, procuramos mostrar como a noção de midiatização profunda, proposta por Couldry e Hepp, pode ser uma referência importante para os estudos de comunicação, se levarmos em conta a natureza das plataformas, dos objetos digitais e as formas culturais assumidas por esses novos ambientes comunicacionais. Entre elas, podemos destacar a chamada cultura da busca, a cultura algorítmica ou a cultura orientada por dados. Avançando um pouco mais nessas reflexões, procuramos apontar, ainda, como a particularidade dos objetos digitais, no caso, os objetos codificados de registro e de compartilhamento de dados (logjects), podem nos ajudar na construção de hipóteses de investigação sobre o aprofundamento das formas de midiatização contemporâneas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liráucio Girardi Jr, Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil. Faculdade Cásper Líbero, São Paulo, São Paulo, Brasil

Doutor em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de São Paulo – USP. Professor e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul e da Faculdade Cásper Líbero.

Referências

AMPUJA, Marco; KOIVISTO , Juha; VÄLIVERRONEN, Esa. Strong and Weak Forms of Mediatization Theory. A Critical Review. NORDICOM Review , vol. 35 (Special Issue) , p. 111123, 2014

ANDERSEN, Jack. Search, searching, search engines: new media interactions in digital culture. Informationcultures, Medium 06/07/2017 Disponível em: https://medium.com/big-data-small-meaning-and-globaldiscourses/search-searching-search-engines-new-media-interactions-in-digital-culturebd1775bf8d6d Acessado em: 25/02/2018

_______________. Archiving, ordering, and searching: search engines, algorithms, databases, and deep mediatization. Media, Culture & Society Sage, p.1-16, 2018

ARAÚJO, Willian F. Os Algorítmos da Comunicação: uma abordagem de processos computacionais como objeto de estudo da comunicação. Trabalho apresentado no GP Comunicação e Cultura Digital - 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom, 04 a 09 set. 2017

BEER, David. Mobile Music, Coded Objects and Everyday Spaces, Mobilities, v. 5, n.4, p. 469-484, 2010

___________. Popular Culture and New Media: the politics of circulation. London: Palgrave Macmillan, 2013

___________. Metric Power. London: Palgrave Macmillan, 2016

___________. The social power of algorithms, Information, Communication & Society, v. 20, n.1, 1-13, 2017

BEER, David, BURROWS, Roger. Popular Culture, Digital Archives and the New Social Life of Data. Theory, Culture & Society, v. 30, n.4, p. 47–71, 2013

BERRY, David. The computational turn: thinking about the digital humanities. Culture Machine, v. 12 pp. 1-22, 2011

BERRY, David; FAGERJORD, Anders. Digital Humanities. Cambridge/UK: Polity Press, 2017

BIHR, Peter; THORNE, Michelle. Understanding the Connected Home. 2.ed. Kindle Edition, 2016

BILLIC´, Pasko. Search algorithmns, hidden labour and information control. Big Data & Society, p. 1-9, jan-jun, 2016

BLEECKER, Julian. Remaking Everyday Objects In: KITCHIN, Rob; DODGE, Martin. CODE/SPACE: software and everyday life. Cambridge/MA: MIT Press, 2011

boyd, danah., ELLISON, Nicole. Social network sites: Definition, history, and scholarship. Journal of Computer-Mediated Communication, 13, p. 210-230, 2008

BRAGA, José Luiz. Mediatização como Processo Interacional de Referência. Santa Maria/RS, Animus. V. 5 n. 2, p. 9-35 julho/dez 2006

BRATTON, Benjamin H. On Apps and Elementary Forms of Interfacial Life: Object, Image, Superimposition. In: MILLER, Paul D., MATVIYENKO, Svitlana. The imaginary App. Massachusetts: MIT Press, 2014

BREITER, Andreas, HEPP, Andreas. The Complexity of Datafication: Putting Digital Traces in Context. In: HEPP, Andreas, BRITER, Andreas, HASEBRINK, Uwe (Ed.). Communicative Figurations. London : Palgrave Macmillan, January 2018 (Transforming Communications – Studies in Cross-Media ResearchBook Series)

BROTAS, Diego. Música, mídia e espacialidades: reapropriações do lugar para o desenvolvimento de relações musicais (geo)localizadas. Niterói. Tese (Doutorado Programa de PósGraduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. 2017.

BRUNO, Fernanda et. al. Tecnopolíticas da vigilância: perspectivas da margem. São Paulo: Boitempo, 2018

CARVALHO, Carlos Alberto. MIDIATIZAÇÃO: investigações brasileiras e europeias e o midiacentrismo. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Epistemologias da Comunicação do XXV Encontro Anual da Compós, na Universidade Federal de Goiás, Goiânia, de 7 a 10 de junho de 2016.

CHENEY-LIPPOLD, John. A new Algorithmic Identity – soft biopolitics and the modulation of control. Theory, Culture & Society v. 28 n. 6, p. 164-181, 2011.

______________________. We are Data: algorithms and the making of our digital selves. New York: New York University Press, 2017

COULDRY, N. Mediatization or Mediation? Alternative Understandings of the Emergent Space of Digital Storytelling. New Media and Society. 10(3), p. 373-391, 2008.

COULDRY, Nick; HEPP, Andreas. Conceptualizing Mediatization: Contexts, Traditions,

Arguments Communication Theory (International Communication Association). 23, p.191– 202¸ 2013

_____________________________. The Mediated Construction of Reality. Cambridge/UK: Polity Press, 2017

DAUBS, Michael; MANZEROLLE, Vincent. App-centric mobile media and commoditization:

Implications for the future of the open Web Mobile Media & Communication 4 (1) · July 2015

D’ANDRÉA, Carlos. Cartografando controvérsias com as plataformas digitais: apontamentos teórico-metodológicos. Galáxia. n. 38, mai-ago, p. 28-39, 2018 D'ANDRÉA, Carlos; JURNO, Amanda; DALBEN, Silvia. Mapeando controvérsias algorítmicas (e suas tensões com e no jornalismo). In: MARTINS, Bruno et al (orgs.) Experiências metodológicas em textualidades midiáticas. Belo Horizonte: Relicário, p.141-162, 2019.

DODGE, Martin; KITCHIN, Rob. Codes of life: identification codes and the machine-readable World. Environment and Planning D: Society and Space v. 23, p. 851 – 881, 2005.

___________________________. Software, Objects, and Home Space. Environment and Planning A: Economy and Space, 41(6), 1344–1365, 2009.

___________________________. Code/Space. Cambridge, MA : The MIT Press, 2011

DOURISH, Paul. The Stuff of Bits: an essay on the materialities of information. Cambridge/MA: MIT Press, 2017

ELIAS, Norbert. Introdução à Sociologia. Lisboa: Edições 70, 2011 (1970)

FAUSTO NETO, A. Midiatização, prática social – prática de sentido. 15º Encontro Anual da COMPÓS UNESP-Bauru, 6 a 9 de junho de 2006

FERREIRA, Jairo. Midiatização: dispositivos, processos sociais e de comunicação. Brasília: E-Compós, V. 10, 2007.

FERREIRA, Jairo et. al. (orgs). Entre o que se diz e o que se pensa: onde está a midiatização? Santa Maria: FACOS/UFSM, 2018

FINNEMANN, Niel O. Mediatization Theory and Digital Media. Communications: the European Journal of Communication Research. n. 36, v. 1, p. 67-89, 2011

GILLESPIE, Tarleton. The politics of “platforms.” New Media &Society, 12, p. 347-364, 2010

___________. A Relevância dos Algoritmos – Parágrafo, São Paulo, Brasil, v. 6, n. 1, p. 95-121, jan./abr. 2018.

____________. Platforms are not Intermediaries. Georgetown Law Technology Review, v.2.2, p. 198-214, 2018

GIRARDI JR, Liráucio. O Estranho mundo da informação – e da materialidade – no campo da comunicação. E-Compós, Brasília, v.20 n.1 p.1-18, jan-abr 2017

___________. De Mediações em Mediações: a questão da tecnicidade em Martín-Barbero. Matrizes, Sao Paulo, v.12, n.1, p. 155-172, jan-abr 2018

GITELMAN, Lisa (Ed.). Raw data is an oxymoron. Cambridge: MA, MIT Press, 2013.

GOMES, Pedro Gilberto. Midiatização: um conceito, múltiplas vozes. Porto Alegre, Famecos, v. 23, n. 2, maio, junho, julho e agosto de 2016.

CASTRO, Julio Cesar L. de Castro. Plataformas Algorítmicas: interpelação, perfilamento e performatividade. Famecos, Porto Alegre, v.26, n.3, set-dez 2019

GROHMANN, Raphael. Plataformização do trabalho: entre a dataficação, a financeirização e a racionalidade neoliberal. Eptic, v. 2 n.1 p. 107-122, jan-abr 2020

GROHMANN, Raphael, MAURO, Rosana. O Potencial Teórico do Conceito de Midiatização e os Estudos sobre Classes Sociais na Comunicação. Novos Olhares, v. 4, n. 1, p. 246-257, 17 jun. 2015.

GUNKEL, D. J. Beyond mediation: thinking the computer otherwise. Interactions, Bristol, v. l, n. 1, p. 53-70, 200

HELMOND, Anne. The Platformization of the Web: Making Web Data Platform Ready. Social Media + Society. p. 1-11 2015

HESMONDHALGH, David, MEIER, Leslie M. What the digitalisation of music tells us about capitalism, culture and the power of the information technology sector, Information, Communication & Society, v. 21, n. 11, p. 1555–1570 , 2018

HEPP, Andreas. As configurações comunicativas de mundos midiatizados: pesquisa da midiatização na era da “mediação de tudo” Matrizes, v. 8 - Nº 1, p. 45-64, jan./jun. 2014

HEPP, Andreas; HJARVARD, Sig.; LUNDBY, Knut. Mediatization: theorizing the interplay between media, culture, and society media. Culture & Society, London, v. 37, n. 2, p. 314-324, 2015

HEPP, Andreas. HASEBRINK, Uwe. Interação Humana e Configurações Comunicativas: transformações culturais e sociedades midiatizadas. Parágrafo, v. 2, n.3 p. 75-89, dez.2015

HJARVARD, Stig. Midiatização: teorizando a mídia como agente de mudança social e cultural. Matrizes Ano 5 – nº 2 p. 53-91jan./jun. 2012

_______________.Da Mediação à Midiatização: a institucionalização das novas mídias. Parágrafo, v.2, n.3 p. 51-62 jul./dez.2015

ISAACSON, Walter. Os Inovadores: uma biografia da revolução digital. São Paulo:

Companhia das Letras, 2014

JANOTTI Jr, Jeder, MATOS, Ângela, JACKS, Nilda (orgs). Mediação & Midiatização. Brasília: EDUFBA- Compós, 2012

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2008

JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Cultura da Conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Aleph, 2014.

JOHNSON, Steven. Cultura da Interface. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001

LIVINGSTONE, Sonia M. On the mediation of everything. Journal of Communication, vol. 59, n. 1, p. 1-18, 2009.

_________________. If Everything is Mediated, What is Distinctive About the Field of Communication? International Journal of Communication, 5 p. 1472-1475, 2011.

MANOVICH, Lev. The Language of New Media.Cambridge/Mass: MIT Press, 2001

MARTÍN-BARBERO, Jésus. Pistas para entre-ver meios e mediações. In: ______. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2003. p. 11-21.

MARTINO, Luís Mauro Sá. Rumo a uma teoria da midiatização: exercício conceitual e metodológico de sistematização. Porto Alegre, Intexto, n. 45, p. 16-34, maio/ago. 2019.

MATVIYENKO, Svitlana. Introduction. In: MILLER, Paul D., MATVIYENKO, Svitlana. The imaginary App. Massachusetts: MIT Press, 2014

MINTZ, André Goes. Midiatização e plataformização: aproximações. Novos Olhares. v.8, n.2, p. 98-109, 2019

ORTON-JOHNSON, Kate, PRIOR, Nick (eds). Digital Sociology: critical perspectives. London : Palgrave Macmillan, 2013

ROUVROY, Antoinette; BERNS, Thomas. Governamentalidade algorítmica e perspectivas de emancipação: o díspar como condição de individuação pela relação. Revista Eco Pós, v. 18 n.2, 2015

RÜDIGER, Francisco. Os estudos de mídia e a problemática epistemológica da teoria da midiatização – uma nova escolástica? Intexto, Porto Alegre, UFRGS, n. 34, p. 745-769, set./dez. 2015

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus, 2013.

SHIRKY, CLAY. A Cultura da Participação. São Paulo: Zahar, 2011.

SILVA, Tarcizio. Racismo Algorítmico em plataformas digitais: microagressões e discriminação em código. In: SILVA, Tarcizio (org). Comunidades, algoritmos e ativismos digitais: Olhares afrodiaspóricos. Consultoria Editorial: LiteraRUA – São Paulo, 2020.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu. Governo dos Algoritmos. Revista de Políticas Públicas. V. 21, n. 1, p. 267-281, 2017

______________________. A noção de modulação e os sistemas algorítmicos. São Paulo: Paulus: Revista de Comunicação da FAPCOM, v. 3, n. 6, p. 31-46, 12 nov. 2019.

SRNICEK, Nick. Plataform Capitalism. Cambridge/UK; Polity Press, 2017

SODRÉ, Muniz. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede.Petrópolis, RJ: Vozes, 2002

SPEED, C, GIANNI, C & SHINGLETON, D. 'Pervasive Memory, Locative Narratives', REM - Research on Education and Media, vol. 2, no. 2, pp. 40-47, 2010

STRIPHAS, Ted. Algorithmic Culture. European Journal of Cultural Studies. V. 18 n. 4-5, p. 395-412, 2015

VAN DIJCK, José. Confiamos nos dados? As implicações da datificação para o monitoramento social. Matrizes, São Paulo, V.11 - Nº 1 p. 39-59 jan./abr. 2017

VAN DIJCK, José, POELL, Thomas, DE WALL, Martijn. The Plataform Society: public values in a connective world. New York: Oxford University Press, 2018

VERÓN, Eliseo. Teoria da midiatização: uma perspectiva semioantropológica e algumas de suas consequências. MATRIZes, v. 8, n. 1, p. 13-19, 2014.

Publicado
13-01-2021
Como Citar
Girardi Jr, L. (2021). Midiatização Profunda, Plataformas e Logjects. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2287
Seção
Ahead of Print