A Esposa do solteiro

uma experiência pioneira de produção cinematográfica entre Brasil e Argentina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30962/ec.2452

Palavras-chave:

Cinema Silencioso. História do Cinema. Cinema Brasileiro. Cinema Argentino

Resumo

Este artigo discorre sobre a produção, a circulação e a repercussão na imprensa do longa-metragem de ficção A esposa do solteiro (Carlo Campogalliani, 1925), cujo título na Argentina foi La mujer de medianoche. Como não se conhece o paradeiro de alguma cópia integral do filme, foram utilizadas como fontes principais a imprensa cinematográfica e fotografias da película. Trata-se de uma produção realizada de forma pioneira entre Brasil e Argentina, envolvendo os profissionais de origem italiana Paulo Benedetti, Federico Valle, Carlo Campogalliani e Letizia Quaranta, o que aponta para formas de internacionalização mesmo em cinematografias ainda incipientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Autran Franco de Sá Neto, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil

Doutor em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), Bacharel em Comunicação Social pela USP. Professor adjunto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Tem experiência nas áreas de Comunicação e Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: cinema, Brasil, história, ideologia e crítica.

Referências

ARAÚJO, Luciana Corrêa de. Humor, divas e outros colossos do cinema silencioso italiano. Recine: Revista do Festival Internacional do Cinema de Arquivo, Rio de Janeiro, n. 8, p. 50-57, 2011. Disponível em: https://issuu.com/revistarecine/docs/revista-recine-2011-ebook. Acesso em: 21 jan. 2021.

AUTRAN, A. O pensamento industrial cinematográfico brasileiro. São Paulo: Hucitec, 2013.

DI NÚBILA, Domingo. La época de oro – Historia del cine argentino I. Buenos Aires: Ediciones del Jilguero, 1998.

ESPOSA do solteiro ou a mulher da meia noite, A. Cinearte, Rio de Janeiro, ano I, n. 6, p. 18-19, 7 abr. 1926.

FREIRE, Rafael de Luna. O cinema no Rio de Janeiro (1914-1929). In: RAMOS, Fernão Pessoa; SCHVARZMAN, Sheila (Orgs.). Nova história do cinema brasileiro. Vol. I. São Paulo: Edições Sesc, 2018, p. 252-293.

GOMES, Paulo Emílio Sales. Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte. São Paulo: Perspectiva / Editora da Universidade de São Paulo, 1974.

GOMES, Paulo Emílio Sales; GONZAGA, Adhemar. 70 Anos de cinema brasileiro. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1966.

GONZAGA, Adhemar. Filmagem Brasileira. Para Todos, Rio de Janeiro, v. VII, n. 323, 21 fev. 1925.

____. Filmagem Brasileira. Para Todos, Rio de Janeiro, v. VII, n. 351, p. 40-41, 5 set. 1925.

____. Filmagem Brasileira. Cinearte, Rio de Janeiro, ano I, n. 8, p. 4-5, 21 abr. 1926.

____. Filmagem Brasileira. Cinearte, Rio de Janeiro, ano I, n. 39, p. 4-5, 24 nov. 1926.

____. Filmagem Brasileira. Cinearte, Rio de Janeiro, ano II, n. 49, p. 4, 2 fev. 1927.

INVENTOR de la cinematografia sincronizada se halla en Buenos Aires, El. Excelsior, Buenos Aires, ano XII, n. 569, p. 1, 4 fev. 1925.

KRIGER, Clara. Del periodismo a la historia: Alex Viany y Domingo Di Núbila. AdVersuS, Roma, Buenos Aires, v. VIII, n. 21, p. 85-100, dez. 2011. Disponível em: http://www.adversus.org/indice/nro-21/articulos/04-VIII-21.pdf. Acesso em: 20 jan. 2021.

LIMA, Pedro. O Cinema no Brasil. Selecta, Rio de Janeiro, ano XI, n. 19, p. 12-13, 9 maio 1925.

____. O Cinema no Brasil. Selecta, Rio de Janeiro, ano XI, n. 37, p. 15-17, 12 set. 1925.

_____. O Cinema no Brasil. Selecta, Rio de Janeiro, ano XII, n. 25, p. 16, 23 jun. 1926.

_____. O Cinema no Brasil. Selecta, Rio de Janeiro, ano XII, n. 26, p. 6 e 20, 30 jun. 1926.

___. Filmagem Brasileira. Cinearte, Rio de Janeiro, ano II, n. 54, p. 4-6, 9 mar. 1927.

____. A propósito de Thesouro perdido e sua exibição. Cinearte, Rio de Janeiro, ano II, n. 55, p. 4-5 e 38, 16 mar. 1927.

____. Filmagem Brasileira. Cinearte, Rio de Janeiro, ano III, n. 109, p. 6-7, 28 mar. 1928.

MARANGHELLO, César. Breve historia del cine argentino. Barcelona: Laertes, 2005.

MARTINELLI, Vittorio. Il cinema muto italiano – 1920 – I film del dopoguerra. Bianco e Nero, Roma, número especial, 1995

PRODUCCIÓN Sudamericana. Excelsior, Buenos Aires, ano XII, n. 585, p. 13, 27 maio 1925.

PRODUCCIÓN Sudamericana. Excelsior, Buenos Aires, ano XII, n. 587, p. 25, 10 jun. 1925.

PRODUCCIÓN Sudamericana. Excelsior, Buenos Aires, ano XII, n. 605, p. 37, 14 out. 1925.

PRODUCCIÓN Sudamericana. Excelsior, Buenos Aires, ano XII, n. 606, p. 19, 21 out. 1925.

RAMOS, Lécio Augusto. Paulo Benedetti. In: RAMOS, Fernão Pessoa; MIRANDA Luiz Felipe (Orgs.). Enciclopédia do cinema brasileiro. 3ª ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo, Editora Sesc São Paulo, 2012, p. 73-74.

SOUZA, Carlos Roberto de; FREIRE, Rafael de Luna. A chegada do cinema sonoro ao Brasil. In: RAMOS, Fernão Pessoa; SCHVARZMAN, Sheila (Orgs.). Nova história do cinema brasileiro. São Paulo: Editora Sesc São Paulo, 2018, p. 294-341.

TELA em Revista, A. Cinearte, Rio de Janeiro, v. I, n. 20, p. 27-30, 14 jul. 1926.

VIANY, Alex. Introdução ao cinema brasileiro. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1959.

Downloads

Publicado

17-03-2022

Como Citar

Franco de Sá Neto, A. A. (2022). A Esposa do solteiro: uma experiência pioneira de produção cinematográfica entre Brasil e Argentina. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2452

Edição

Seção

Ahead of Print