Aplicativos de Transporte e Violência contra Mulheres

“Dispositivo de segurança” da Uber, 99 e Cabify-Easy

Autores

  • André Luiz Martins Lemos Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil https://orcid.org/0000-0001-9291-6494
  • Amanda Nogueira de Oliveira Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.30962/ec.2600

Palavras-chave:

Aplicativos de transporte, Neomaterialismo, Violência contra mulheres

Resumo

O artigo investiga como a violência contra mulheres é enfrentada nos aplicativos Uber, 99 e Cabify-Easy no Brasil. Com metodologia neomaterialista, analisou-se de forma imanente os seus dispositivos de segurança (interface, documentos e discursos oficiais). Esses dispositivos fazem parte de aplicativos que atuam a partir de ampla vigilância de dados e poderiam oferecer formas eficazes para a solução do problema. No entanto, eles se limitam a ser um “atalho” que permite ligação para a polícia. Concluímos que o problema da violência contra a mulher é tratado superficialmente, sendo os dispositivos uma forma de delegação a terceiros, sem garantias de efetividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz Martins Lemos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Doutor em Sociologia pela Université René Descartes, Paris V, Sorbonne. Professor Titular da Faculdade de Comunicação (FACOM) e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (PósCom) da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pesquisador PQ-1A do CNPq.

Amanda Nogueira de Oliveira, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (PósCom) da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Referências

ABLGT. Do Luto à Luta: Violência contra defensores de direitos humanos LGBTI+ no Brasil. Dossiê elaborado pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT). 2021. Disponível em: https://42591db2-5171-4bc2-9173-225378cc4c25.filesusr.com/ugd/dcb2da_bf35f49e36784e9cb60e6f10034a51a5.pdf. Acesso em: 13 set. 2021.

AJAYI, A. P. Uber: examination of socio-economic situation of its clienteles and security components in Lagos. Journal of Transportation Security, v. 13, n. 1-2, p. 117-131, 2020.

ARAGÃO, A.; CRISTALLI, S. Usuárias de Uber reclamam das respostas da empresa após denúncias de assédio. BuzzFeed, 2016. Disponível em: https://www.buzzfeed.com/br/alexandrearagao/uber-assedio-brasil. Acesso em: 6 maio 2020.

BAGGIO, A. T. Aplicativos de mapeamento de assédio sexual de rua: regimes de interação e de sentido. XXVII Encontro Anual da Compós, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

BENNETT, J. The Agency of Assemblages and the North American Blackout. Public Culture, v. 17, n. 3, p. 445-465, 2005.

BERGEN, J. P.; VERBEEK, P. To-Do Is to Be: Foucault, Levinas, and Technologically Mediated Subjectivation. Philosophy & Technology, v. 34, n. 2, p. 325-348, 2021.

CARDOSO, L. F. et al. Recent and emerging technologies: Implications for women’s safety. Technology in Society, v. 58, p. 101108, ago. 2019.

CARVALHO, L. 99 suspende cadastros de novos motoristas após fraudes e estupros em Fortaleza. Olhar Digital, 2018. Disponível em: https://olhardigital.com.br/noticia/99-suspende-cadastros-de-novos-motoristas-apos-fraudes-e-estupros-em-fortaleza/78076. Acesso em: 18 maio 2020.

DELEUZE, G. Deux Régimes de Fous: textes et entretiens 1975–1995. Paris: Éditions de Minuit, 2003.

DOLCE, J. A uberização do trabalho é pior pra elas. Agência Pública, 28 maio 2019. Disponível em: https://apublica.org/2019/05/a-uberizacao-do-trabalho-e-pior-pra-elas/#Link1. Acesso em: 11 abr. 2021.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 11. Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2021.

FOX, N. J.; ALLDRED, P. Sociology and the New Materialism: Theory, Research, Action. California: SAGE Publications Inc., 2017.

G1SP. Escritora Clara Averbuck denuncia ser vítima de estupro de motorista de Uber. G1SP, 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/escritora-clara-averbuck-denuncia-estupro-de-motorista-de-uber.ghtml. Acesso em: 20 maio. 2020.

GRIFFITH, D. A.; VAN ESCH, P.; TRITTENBACH, M. Investigating the mediating effect of Uber’s sexual harassment case on its brand: Does it matter? Journal of Retailing and Consumer Services, v. 43, p. 111–118, 2018.

HARAWAY, D. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, n. 5, p. 7-41, 1995.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: Edufba, 2012.

LEMOS, A. Mídias Locativas e Vigilância: sujeito inseguro, bolhas digitais, paredes virtuais e territórios informacionais. Surveillance in Latin America, p. 621-648, 2009.

_________. Epistemologia da Comunicação, Neomaterialismo e Cultura Digital. Galáxia. Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, v. jan-abr, n. 43, p. 54-66, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-25532020143970.

LEMOS, A., BITENCOURT, E. Sete pontos para compreender o neomaterialismo. In: Galáxia (São Paulo, online), n. 46, p. 1-10, 2021. ISSN: 1982-2553. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-2553202152017.

LIGHT, B.; BURGESS, J.; DUGUAY, S. The walkthrough method: An approach to the study of apps. New Media & Society, v. 20, n. 3, p. 881-900, 2018.

LIMA, J. D. de. O tamanho do problema de assédio no Uber. E como a empresa está lidando com isso. NEXO, 2017. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/11/23/O-tamanho-do-problema-de-assédio-no-Uber.-E-como-a-empresa-está-lidando-com-isso. Acesso em: 20 maio 2020.

MARQUES, D.; LEMOS, A. Privacidade e Internet das Coisas: uma análise da rede Nest a partir da Sensibilidade Performativa. E-Compós, v. 22, n. 1, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.30962/ec.1611.

MOODY, J.; MIDDLETON, S.; ZHAO, J. Rider-to-rider discriminatory attitudes and ridesharing behavior. Transportation Research Part F: Traffic Psychology and Behaviour, v. 62, p. 258-273, 2019.

SANTANA, J.; MAZZA, C. Falso motorista de app é preso acusado de quatro casos de estupro. Jornal OPovo, 2018. Disponível em: https://www.opovo.com.br/jornal/reportagem/2018/08/falso-motorista-de-app-e-investigado-por-4-casos-de-estupro.html. Acesso em: 18 maio 2020.

WARZEL, C.; BHUIYAN, J. Internal Data Offers Glimpse At Uber Sex Assault Complaints. BuzzFeed. 2016. Disponível em: https://www.buzzfeednews.com/article/charliewarzel/internal-data-offers-glimpse-at-uber-sex-assault-complaints#.bvvV2Axve. Acesso em: 12 jun. 2020.

Downloads

Publicado

13-06-2022

Como Citar

Martins Lemos, A. L., & Nogueira de Oliveira, A. (2022). Aplicativos de Transporte e Violência contra Mulheres: “Dispositivo de segurança” da Uber, 99 e Cabify-Easy. E-Compós. https://doi.org/10.30962/ec.2600

Edição

Seção

Ahead of Print